sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Compreender para bem viver a Quaresma!

“O que a oração pede, o jejum alcança e a misericórdia recebe. Oração, misericórdia, jejum: três coisas que são uma só e se vivificam reciprocamente. O jejum é a alma da oração e a misericórdia dá vida ao jejum” (São Pedro Crisólogo, Sermão 43). 



O que seria a quaresma?A quaresma é o nome dado ao período de quarentas dias que antecede a ressureição de Jesus Cristo, que é comemorada no domingo de Páscoa. A quaresma começa na quarta-feira de cinzas e termina na quinta-feira santa(Antes da missa Vespertina da Ceia do Senhor). Esse período de 40 dias é reservado à penitência, ao jejum e conversão espiritual para preparar o espírito.
A tradição dos 40 dias lembra os 40 dias que Jesus passou no deserto(Mt 4. 1-11; Mc 1.12-13; Lc 4. 1-13). A Igreja também traz reflexões da quaresma no Antigo Testamento. Ela recorda os anos que o povo de Deus ficou preso no Egito nas mãos do Faraó (que representa o poder do mal) (Gn 15.13, At 7.6). E foi no Egito em que eles celebraram a primeira Páscoa (a palavra Páscoa quer dizer passagem, ou seja, saíram da terra do Egito onde eram escravos à terra de Canaã, a terra de fartura que corre  leite e mel em abundância) (Ex 12. 21-27).
Temos outra passagem que lembra a reflexão da Páscoa: Onde depois de sair do Egito o povo de Deus fica mais 40 anos em peregrinação no deserto porque desobedeceu a Deus (Js 5.6-12). E o que essas passagens tem em comum? 400 anos, 40 anos e 40 dias... Na bíblia o numero 4 representa "o todo".
E o que essas passagens querem dizer? O povo de Deus estava no deserto e estavam rumo a sua Pátria prometida, desde o tempo de Abraão,  onde eles teriam um lugar de fartura. Jesus passa 40 dias no deserto sendo tentado pelo demônio, e o próprio Jesus não se deixa abater com as tentações, pois sabia qual era o propósito que tinha a realizar, ou seja, sua própria Páscoa onde Ele seria a vítima principal para a remissão de nossos pecados e no qual não precisaria mais imolar cordeiros, pois Jesus ofereceu um sacrificio: Ele MESMO( Hb 7.27) e como João Batista proclama, Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (Jo 1.29). E o que tudo isso traz para nós hoje? Nós estamos caminhando pelo deserto da vida, estamos sendo tentados pelo poder do tirano que governa este mundo e estamos numa constante caminhada para a nossa pátria que não é este mundo, como diz Paulo aos Filipenses: "Nós somos cidadãos do céu " (Fl 3.20) e estamos rumo a Jerusalém Celeste, no qual o próprio Jesus foi primeiro que nós, para preparar um lugar para cada um ( Jo 14, 2).
Que nesta quaresma cada um de nós possamos converter o nosso espirito e estar sempre disposto a dizer o SIM aos planos de Deus.
Autora: Thayná Karolina

1 Comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e não esqueça de colocar seu nome. Obrigada!