sábado, 31 de julho de 2010


MARIA, RAINHA DOS APÓSTOLOS

Muitos são os títulos atribuídos a Nossa Senhora. Pe. Tiago Alberione sempre preferiu o de Maria Mãe, Mestra e Rainha dos Apóstolos. Em Maria, as Irmãs Paulinas, chamadas a viver e a comunicar Jesus, o Divino Mestre, encontram um protótipo de mulher e uma apóstola da comunicação.

Consagremos o nosso sábado a Maria, com a oração:

CONSAGRAÇÃO A MARIA

Maria, minha mãe, mestra e rainha, acolhe-me entre os que amas, guias e santificas no seguimento de Jesus Cristo, divino Mestre.

Em Deus, vês os filhos que ele chama e por eles intercedes, concedendo-lhes graças, luz e conforto.

Jesus Cristo, nosso Mestre, confiou-se inteiramente aos teus cuidados, desde a encarnação até a ascenção. Isto para mim é ensinamento, exemplo e dom.

Eu também, como Jesus, me coloco em tuas mãos. Concede-me a graça de conhecer, imitar e amar sempre mais o divino Mestre, Caminho, Verdade e Vida.

Apresenta-me a Jesus, para ser admitido entre os seus discípulos.

Ilumina-me, fortifica-me e santifica-me.

Que eu corresponda plenamente à tua bondade e possa, enfim, dizer: "Eu vivo, mas já não sou eu que vivo, pois é Cristo que vive em mim".

São Paulo apóstolo, discípulo fiel de Jesus, alcança-me a graça de ser forte e perseverante: desejo corresponder sempre mais ao dom de Deus, "até que em mim se forme Jesus Cristo".
(Pe. Tiago Alberione)










sexta-feira, 30 de julho de 2010

Jovem, você sabe o que é Vocação?

video

Vocação e Consagração Perpétua da Ir. Elizete





Irmã Elizete Moura dos Santos, no dia 08 de agosto ofertará para sempre sua vida à Deus na congregação das Filhas de São Paulo (Irmãs Paulinas), numa celebração Eucarística em sua cidade natal, Dona Inês – PB.
Ela nos conta um pouco da sua história e como está o coração nesse momento especial. Confira na entrevista abaixo:




1 – FALE-NOS SOBRE O DESPERTAR DA SUA VOCAÇÃO.
Aos 15 anos, apesar de trabalhar, estudar e participar ativamente da comunidade sentia desejo de fazer algo que desse verdadeiramente sentido a minha vida. Em busca desse algo mais, cheguei até a pensar que em outra religião, que com propostas mais radicais, eu pudesse viver de forma mais comprometida os valores do Evangelho. Contudo, percebi que não era exatamente isso o que eu buscava para minha vida.
Assim, decidi continuar fazendo parte do grupo de Jovens de minha comunidade. E certa noite, após o término das aulas do Colégio, encontrava-me no pátio da Igreja, junto a outros membros do grupo Jovem, quando recebemos o convite para entrarmos na Igreja e assistir a um filme que uma Irmã Paulina iria passar.
A curiosidade era tanta em conhecer uma Irmã, que não pensei duas vezes, entrei e assisti não só a um filme, mas a dois: Uma vida pelo Evangelho e Além das Ilusões.
O primeiro era sobre a vida de Irmã Tecla Merlo, co-fundadora da Congregação das Irmãs Paulinas. O que mais me tocou foi sua vida simples de fé e seu amor profundo a Cristo e ao Evangelho. Fiquei profundamente encantada com o modo de ser dessa Irmã, principalmente, de comunicar Jesus às pessoas.
O segundo filme mostrava a história de uma jovem em busca de sentido para própria vida. A identificação foi tanta que, daquele momento em diante, passei a me questionar sobre se o que eu fazia me realizava, como pessoa e como cristã. A angústia maior foi ter percebido que não, mas por outro lado, sentia que, naquele momento, estava diante de uma nova opção de vida: a Vida Religiosa Consagrada Paulina.


2 – EM QUE ANO INGRESSOU NA CONGREGAÇÃO E O QUE FOI MAIS DIFÍCIL PARA DAR ESSE PASSO?
Após o primeiro contato com as Irmãs, iniciei o acompanhamento vocacional através de cartas, convivências vocacionais e visitas das Irmãs à minha família. Cada vez mais me sentia encantada e entusiasmada pela Vida Religiosa Paulina e, a exemplo de Irmã Tecla Merlo, dentro de mim brotava um grande desejo: dedicar a própria vida à causa do Evangelho!
Com esse imenso desejo, em 1997, ingressei na comunidade do Recife dando início à primeira etapa da vida paulina, o aspirantado. Além do difícil processo de adaptação, que é bastante normal, deixar a família me custou muito. Meu pai havia falecido um ano antes do meu ingresso na Congregação, minha família estava passando por uma fase difícil de perda e, juntos, estávamos ainda elaborando uma nova entrega a Deus, agora na dimensão da Vida Religiosa Consagrada.


3 – DEPOIS DESSE TEMPO DE FORMAÇÃO, O QUE TEM A DIZER PARA AS JOVENS QUE SENTEM SEU CORAÇÃO INQUIETO?
Hoje, após sete anos de vida consagrada Paulina e treze anos que deixei a minha família para fazer uma experiência religiosa, sinto que, de fato, o Senhor me ama e me chama cada dia para viver e comunicá-lo com todo o meu ser.
Hoje também percebo muitos corações inquietos e tenho certeza que Deus continua suscitando no coração de muitas jovens o mesmo desejo de segui-lo mais de perto. Por isso, com grande alegria e confiança, expresso minha convicção, especialmente a você jovem: jamais deixe de ouvir as inquietações do seu coração e busque conquistar o que de fato vale à pena. Se descobrir que o seu tesouro é Jesus Cristo, não tenha medo de oferecer, entregar e consagrar a Ele o melhor de sua vida.


4 – O QUE SIGNIFICA ESSE 'SIM' DEFINITIVO A DEUS COMO FILHA DE SÃO PAULO?
Significa renovar a fé em Cristo todos os dias e viver a convicção de que Cristo me escolheu para ser no mundo um instrumento do seu amor. Sinto-me profundamente conquistada por Cristo, assim como o Apóstolo Paulo. E “por causa de Cristo” quero dedicar para sempre a minha a Deus e ao próximo. Cada vez que saio de mim mesma para se doar sem reservas, até nas mínimas coisas do dia a dia, sinto que me torno mais Filha de são Paulo e isso me faz feliz e realizada em minha vocação.





“Assim como meu Pai me amou, eu também amei vocês: permaneçam no meu amor” (Jo 15,9).





O texto bíblico acima, é o que toca mais forte no coração da Ir. Elizete.
Que sua vida Paulina seja para todo o povo uma expressão desse amor de Deus que a amou, escolheu e consagrou!

quinta-feira, 29 de julho de 2010


Irmãs Paulinas em Bacuri - MA

A cidade de Bacuri, no interior do estado do Maranhão, deu à Igreja mais um sacerdote, o diácono Ronald T. Ferreira. Convidadas para preparar a ordenação dele na cidade, a Ir. Elivânia e a noviça Viviani, participaram de uma semana vocacional, que aconteceu de 10 a 18 de julho.



Visitaram as escolas, onde trabalharam o tema “Vocação” e os valores humano-cristãos, promoveram encontros com o apostolado da oração, o terço dos homens, o grupo de jovens. Também participaram de programa na rádio e ajudaram na preparação do tríduo vocacional na comunidade. A semana foi concluída com uma linda celebração eucarística, na qual o diácono Ronald foi ordenado presbítero.





Muitas jovens manifestaram o desejo de começar um acompanhamento vocacional. “Esta missão foi especial, fortaleceu a minha vocação e o desejo de consagrar-me totalmente a Deus e ao povo”, afirma a noviça Viviani.




quarta-feira, 28 de julho de 2010

IRMÃS PAULINAS

Comprometidas

a viver a

Palavra de

Jesus e a

anunciá-la por

meio da

Comunicação



JOVEM, você já

pensou em dedicar sua vida

à Deus nesta missão?

IR. CRISTIANE NOS CONTA DA SUA VOCAÇÃO

Hoje, Ir. Cristiane vai nos contar um pouco de sua história! Acompanhe:

Como você percebeu que queria ser irmã? Fale-nos sobre o despertar de sua vocação.
"Eu era uma jovem comum, participava da Igreja, do Grupo de Jovem JUNISER (Juventude Unida para Servir) na paróquia Nossa Senhora do Rosário, em Goiana-PE e também de um movimento chamado Comunidade Missionária. Tinha meu grupo de amigos que curtia festas, dançar e namorar. E apesar do engajamento pastoral, meus sonhos de juventude eram estudar para ter um bom trabalho, alcançar a independência financeira e ajudar minha família. Ser freira paulina não estava em meus planos iniciais, apesar de que sempre tive muito apreço pela vida missionária.
Eu tinha comigo um Novo Testamento no qual eu gostava de ler as cartas paulinas, mesmo sem entender muito. Ficava questionada ao ver que o Apóstolo Paulo sofria tanta coisa, enfrentava tantos desafios: fome, sede, frio, açoites, etc., e, mesmo assim, falava como o homem mais rico e mais feliz do mundo por causa do amor de Jesus Cristo. Isso realmente me encantava, pois, ao olhar para a realidade de meu povo e do mundo, pensava que a vida deveria ser mais do que uma luta cotidiana pela sobrevivência. Por isso, na minha experiência, eu posso dizer que foi São Paulo, em suas cartas, que me levou a Jesus.
O despertar de minha vocação foi um segundo passo e aconteceu num encontro do grupo jovem, no ano de 1995, quando conheci a primeira Ir. Líria Grade, fsp. Assim teve início o caminho vocacional. Depois de dois anos parei e passei um ano afastada até o dia em que o namorado falou em noivar. Nesse momento, senti fortemente em meu coração que estava dividida entre matrimônio e vida consagrada. Entrei em crise, busquei ajuda e rezei. Então decidi que ia fazer a experiência de um ano na Congregação para discernir minha vocação e aqui estou até hoje."


Qual foi a maior dificuldade ao decidir ingressar na congregação?

Minha decisão de ser religiosa pegou a todos de surpresa e no início não foi bem aceita por alguns amigos nem por alguns de minha família. Confesso que até eu mesma lutei bastante contra o chamado, mas, no final, Deus venceu. Não foi uma decisão fácil. Senti muito ter que me distanciar dos meus dois irmãos, Tiago e Emília, então com 9 e 7 anos de idade. E foi nesse turbilhão de sentimentos e pensamentos que fui participar de uma vigília levando tudo isso no coração, e lá me veio a força necessária. Senti que Deus me dizia: “Deixe que eu seja Deus para sua família e para você!” Entendi que Deus me pedia um passo de confiança, que eu acreditasse e desse espaço para que ele cuidasse de mim e dos meus. E assim, ingressei na Congregação da Pia Sociedade Filhas de São Paulo – Irmãs Paulinas, em Recife, onde fiz a primeira etapa de formação, o aspirantado."

A Igreja, a congregação e o povo de Deus agradece o dom da Vocação Paulina na Ir. Cristiane. Que Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida por ela seja amado, testemunhado e comunicado!

terça-feira, 27 de julho de 2010


O 'SIM' DEFINITIVO À DEUS

O dia 15 de agosto será um data importante para a congregação das Irmãs Paulinas.
Pois celebraremos a Profissão Perpétua da Ir. Cristiane Rodrigues de Melo, em sua cidade natal, Goiana-PE.


Ela ingressou na congregação no dia 15 de março de 1998 e hoje nos diz o que significa esse "Sim" definitivo ao Senhor como Filha de São Paulo:


"Sinto-me muito feliz e com o coração cheio de gratidão a Deus e à Congregação pelo carisma paulino vivo na Igreja. Dizer o meu sim e fazer a doação total e definitiva de minha vida a Deus para o povo na Congregação das Irmãs Paulinas significa uma grande graça que Deus me concede e também uma oportunidade que Ele me dá de fazer o bem as pessoas comunicando o Evangelho com minha vida na missão que me é confiada. Sou feliz ao dizer SIM a Jesus Cristo Mestre e viver por Ele no meio do povo como mulher consagrada, comunicadora da Palavra na missão Paulina, fazendo de minha vida um serviço ao Evangelho. Por isso, hoje repito as palavras de Maria: ‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua vontade.' ”.



Ir. Cristiane (na foto acima), tem algo a dizer para as jovens que sentem seu "coração inquieto" diante do chamado do Senhor:

"No meu tempo de grupo jovem eram as canções do Pe. Zezinho que nos acompanhavam e, entre elas, uma fala da “paz inquieta”. Eu digo para você, jovem: se você encontrou Jesus de verdade, está “perdida”! Porque a paz que Ele nos dá é: inquieta, pois não nos deixa acomodadas enquanto existir injustiça, sofrimento, solidão e ausência de Deus no mundo. Se você sente seu coração inquieto, isso é muito bom, é sinal de que Jesus tem espaço em sua vida e de que Ele conta com você para uma missão especial. Por isso, não tenha medo! Lembre-se que a vida consagrada paulina é para pessoas que tem um coração grande, capazes de amar a todos, como São Paulo, e desejoso de comunicar o amor de Jesus Cristo Mestre ao mundo inteiro. Os desafios e dificuldades existem e são grandes, mas o Deus que a ama e chama é muito maior e conta com você para espalhar no mundo o seu amor. Confie nele!"

Amanhã, a Ir. Cristiane vai nos contar um pouco da sua história vocacional. Você vai perceber como Deus chama quem ele escolhe para segui-lo mais de perto. Não deixe de acompanhar!

segunda-feira, 26 de julho de 2010

PARABÉNS AOS VOVÔS E VOVÓS

Hoje, na Igreja celebramos a festa de São Joaquim e Santa Ana, os pais de Maria e avós de Jesus.


E nessa data, homenageamos também aos avós. Pessoas que marcam seus netos, com o exemplo de vida, de fé e de amor.

O Apóstolo Paulo, recorda da avó de Timóteo, quando escreve a ele, pois possivelmente foi ela que lhe transmitiu a fé: “Lembro-me da fé sincera que há em você, a mesma que havia antes na sua avó Lóide, depois em sua mãe Eunice, e agora estou convencido, também há em você.” (2Tm 1, 5)

A Ir. Izonete Dalla Corte, nos conta um pouco da importância da avó, hoje com 105 anos, em sua história vocacional.

Doralina Nardi, a “Nona” do coração
“Foi ela quem me ensinou a rezar e desde cedo me levava para a Igreja e me fazia participar de suas aulas de catequese. Tinha o costume de rezar durante todo o dia, nos momentos em que ficava sozinha. Lembro-me de que, quando criança, meus irmãos e eu ficávamos tentando descobrir, pelo movimento de seus lábios, qual oração estava rezando. Na época não compreendia direito, mas é uma grande lição de vida e me faz lembrar do Pe. Alberione, que fala da importância de uma mente iluminada, uma mente que está em contínua sintonia com Deus. Em família, costumávamos rezar o terço, antes de dormir, e foi justamente neste ambiente e com essa presença de uma Nona (avó) testemunhando fé e doação, que surgiu o desejo de ser Filha de São Paulo, para levar a Palavra de Deus aos necessitados. Sempre tive apoio de minha de minha “nona” e ainda hoje, sei que ela vive em contínua oração nas intenções de todos os necessitados e da Família Paulina.”
Peçamos a São Joaquim e Santa Ana a proteção e a benção para todos os vovôs e vovós!


domingo, 25 de julho de 2010

DIA DO MOTORISTA

Hoje comemora-se o Dia do motorista, junto com a festa de seu padroeiro, São Cristóvão. Data instituída pelo Presidente da República, Castelo Branco, em 1966.

As irmãs Paulinas, animadas por Pe. Alberione, aprenderam a dirigir logo no início da congregação, coisa que não era muito comum as mulheres naquela época.


Desde então o automóvel é um instrumento importante na missão Paulina. Pois com ele podemos ir mais longe e mais rápido, levando o Evangelho a muitas pessoas.



Irmã Clélia Alves (na foto acima), tirou sua habilitação há 49 anos e agradece a Deus por nunca ter sofrido nenhum acidente. “Pedi a Deus que se fosse para acontecer algum acidente comigo, que eu sonhasse com isso nos tempos da aprendizagem ou que eu fosse reprovada no exame”, relata ela.


Que São Cristóvão proteja todos os motoristas, em especial aqueles que carregam a Palavra do Senhor pelo mundo.

sábado, 24 de julho de 2010


Consagração a Maria

As Irmãs Paulinas, dedicam todos os sábados, em especial, a Maria Rainha dos Apóstolos!

Reze conosco hoje, a oração composta por Pe. Alberione:
Para passar bem o dia


Maria, minha querida e terna Mãe, colocai vossa mão sobre minha cabeça. Guardai minha mente, coração e sentidos para que eu não cometa o pecado. Santificai meus pensamentos, sentimentos, palavras e ações, para que eu possa agradar a vós e ao vosso Jesus e meu Deus. E assim, possa partilhar da vossa felicidade no céu. Jesus e Maria, dai-me vossa bênção:

+ em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

sexta-feira, 23 de julho de 2010


IRMÃ STEFANINA CILLARIO

Hoje é mais um dia de gratidão e saudade, pois há 4 anos partia para a casa do Pai a Ir. Stefanina Cillario. Segunda irmã Paulina que chegou ao Brasil, em 28 de dezembro de 1931, vinda da Itália, para ajudar Ir. Dolores Baldi no começo da vida e missão Paulina em terras brasileiras.




Dotada de uma capacidade de adaptação e inculturação, aprendeu os costumes, a língua e o amor ao povo brasileiro, considerando-o como seu. Em nossas terras foi uma grande missionária, pioneira em muitas iniciativas apostólicas. Sempre começando do nada, mas confiante em Deus.











“ Sentir-me-ia culpada diante da verdade, se não desse este testemunho: ‘Todo o bem vem de Deus e a ele deve voltar’”.
(Ir. Stefanina Cillario)

quinta-feira, 22 de julho de 2010

VOCAÇÃO PARA A COMUNICAÇÃO

As Irmãs Paulinas são comprometidas a viver a Palavra de Jesus e a anunciá-la por meio da Comunicação.



JOVEM, QUE TAL ESSA POSSIBILIDADE?

"Benditas sejam as mensageiras de Jesus, que levam para todos os lares o Evangelho do amor, através da comunicação."
(Pe. Tiago Alberione)







quarta-feira, 21 de julho de 2010

Jesus, quem és?


Um profeta? Filósofo? Espiritualista?
Mito? Guru? Ou...
Jesus mesmo nos responde:
Eu sou a verdade (Jo 14, 6)
que esclarece e liberta.
Eu sou a luz (Jo 15, 13)
que te leva à felicidade.
Eu sou o amor (Jo 15, 13)
e por ti dei a vida.
Eu sou o Mestre (Jo 13, 13)
que ensina o bem.
Eu sou o teu amigo (Jo 15, 14)
e companheiro de todas as horas.
Sou o filho de Maria de Nazaré (Mc 6, 3)
enquanto criatura humana.
Mas, desde sempre,
sou o Filho do Deus vivo (Mt 16, 16).
Tarcila Tomasi, fsp

IRMÃ DOLORES BALDI

Há 11 anos atrás Ir. Dolores Baldi passava para junto do Pai, deixando às irmãs Paulinas, especialmente aqui do Brasil muita saudade, mas a certeza de que teriam mais uma intercessora no céu.




Ela foi a primeira irmã Paulina a chegar ao Brasil, no porto de Santos-SP, à 21 de outubro de 1931. Veio da Itália, logo após professar seus primeiros votos religiosos, com apenas vinte anos. Sem conhecer a realidade que encontraria, nem o idoma, sem estudo, sem dinheiro, sem uma casa para ficar. "Tudo começou do nada, como o Evangelho ensina.", afirmava Ir. Dolores.




"Eu não posso dizer que sofri. Eu não sofri. Tudo era pouco para mim que tinha escolhido ser freira. Ser freira era para mim ser diferente. Para ser uma mulher como todas, eu não precisaria ter vindo para o convento." (Ir. Dolores Baldi)



Lembremos da Ir. Dolores, em especial hoje, com muita gratidão e saudade e pedimos que ela continue a olhar e a interceder por nós!




terça-feira, 20 de julho de 2010

LEITURA ORANTE COM JOVENS

No último domingo, dia 18, na Casa de Oração em São Paulo, aconteceu o segundo encontro, deste ano, do Projeto de vida: Leitura Orante da Palavra, coordenado pela Ir. Roseli Biscuola, fsp.







Com o objetivo de depertar a familiaridade com os textos bíblicos e orientar para a vivencia mais concreta dos valores cristãos, participaram 18 jovens, entre 14 e 30 anos.








Além do Evangelho dominical (Lc 10,38-42), a reflexão se estendeu para o valor da amizade, a partir de reflexões do livro: “Amizades são mananciais – A alegria de ser amigo em Jesus”, Paulinas Editora, 2010.








Um jovem do encontro assim expressou em sua oração: “Jesus, como Marta e Maria quero recebê-lo em minha casa, em minha vida. Ouvir suas palavras para fazer do mundo um lugar melhor”.






JOVEM, VOCÊ TAMBÉM É CONVIDADO A PARTICIPAR CONOSCO!

O próximo encontro será dia 19 de setembro. Entre em contato, pelo telefone: (11) 3789-1429 ou venha pessoalmente e se inscreva: Via Raposo Tavares, Km 19, 145 – São Paulo-SP.

DIA INTERNACIONAL DO AMIGO

Hoje é um dia especial para todos os que tem amigos e são amigos. Essas pessoas são essenciais em nossa vida, pois tornam o cotidiano mais alegre e bonito.




A Palavra de Deus diz: "Amigo fiel é proteção poderosa, e quem o encontrar, terá encontrado um tesouro. Amigo fiel não tem preço, e seu valor é incalculável. Amigo fiel é remédio que cura, e os que temem ao Senhor o encontrarão"(Eclo 6, 14-16).





Jesus cultivou amizades quando passou pelo mundo. Quando recebeu o recado de que Lázaro estava doente, se prontificou a ir à Judéia dizendo: “O nosso amigo Lázaro adormeceu, eu vou acordá-lo”(Jo 11, 11). Ao ver Maria, irmã de Lázaro chorar, ele também se emociona: “Jesus começou a chorar” (Jo 11, 35). Aos seus discípulos, chamou de amigos: Não existe maior amor do que dar a vida pelos amigos. Vocês são meus amigos, se fizerem o que eu estou mandando. Eu já não chamo vocês de empregados, pois o empregado não sabe o que seu patrão faz; eu chamo vocês de amigos, porque eu comuniquei a vocês tudo o que ouvi de meu Pai.” (Jo 15, 13-15). Assim, Jesus se fez nosso maior amigo, pois deu sua vida por nós.




Não deixe de homenagear seus amigos nesse dia. Aqueles que estão perto e também os distantes. Diga o quanto são importantes para você!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

UM PAPO DIFERENTE


Falamos da vida, do mundo,
dos nossos sonhos, das coisas boas, das dificuldades e,
o mais interessante, de um Projeto especial que Deus tem para nós!


Venha bater um papo conosco: todos os dias, aqui neste blog, das 21 às 22 h.

ESPERAMOS POR VOCÊ!


domingo, 18 de julho de 2010

Ingresso no Noviciado

Após sete dias de exercícios espirituais, orientados pela Ir. Maria Inês Carniato, no dia 15 de julho, quatro formandas das irmãs Paulinas ingressaram no noviciado. São elas: Daiane Aparecida Dias Abreu, Flávia Lucia dos Santos, Karina de Carvalho e Mery Elizabeth de Sousa.



(Da esquerda: Daiane, Mery, Karina e Flávia)

Com o coração cheio de alegria e com muita fé, elas dão mais um passo em sua
caminhada vocacional, confiantes em Jesus Mestre que concede a Graça para segui-lo e convida: Vinde a mim todos (Mt 11, 28).


sábado, 17 de julho de 2010

Oração para pedir intercessão de Mestra Tecla

Irmã Tecla Merlo em sua vida teve grande desejo de tornar-se santa e muitas vezes rezou:


"Quero tornar-me santa,
quero tornar-me grande santa,
quero tornar-me logo santa"



E para isso expressava uma total confiança em Deus:

"Por mim nada posso, com Deus posso tudo."




Agora já no céu, e reconhecida pela Igreja como venerável, podemos rezar pedindo que ela interceda por nós em nossas necessidades.


Trindade Santíssima, Pai, Filho e Espírito Santo,
eu te louvo pelas maravilhas que fizeste
na vida da Venerável Irmã Tecla Merlo.
Ela seguiu Jesus Mestre
Caminho, Verdade e Vida,
dedicando-se à missão de evangelizar
por meio da comunicação social.
A exemplo do Apóstolo Paulo,
ela queria ter mil vidas
para doá-las ao Evangelho.
Jesus Mestre, concede-me fé e coragem
para imitá-la em suas virtudes,
e, por sua intercessão, peço esta graça
tão necessária para mim... (pausa para pedido)





Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Convivência Vocacional em Canoas - RS

Dos dias 02 a 04 de julho a comunidade de Canoas - RS acolheu 4 jovens para uma Convivência Vocacional.
Na oportunidade do encontro, as jovens participaram da Festa de São Paulo, celebrada naquele final de semana na comunidade. Foi um rico momento de partilha, oração, recreação e maior conhecimento do Carisma Paulino no caminho de discernimento vocacional.
Confira as fotos:


Da esquerda para a direita: Elizabeth Loureiro, Ana Carolina Lima, Jessyca Moser e Valquiria Machado )

Encontro das Irmãs Junioristas

Aconteceu de 13 a 16 de julho, na Casa de Oração em São Paulo-SP, o encontro anual das junioristas, com a acessoria de Ir. Pina Riccieri, da Itália. O tema aprofundado nesses dias foi Uma mente santificada na era digital.



(Ir. Pina Riccieri, fsp)




(Irmãs que participaram do encontro)



Ir. Josefa, conselheira provincial, nos fala sobre a importância do tema aprofundado:

“Significa aprofundar as raízes carismáticas em Pe. Alberione, pois a santificação da mente é uma das principais fontes Alberionianas.”







"O serviço de Deus feito com o uso de nossa faculdade principal, que provém dele, nos lembra as Palavras do Divino Mestre Jesus: "Amarás o Senhor com toda a tua mente". Todo bem e todo mal tem a raiz e primeira expressão na mente" (Pe. Tiago Alberione)







Agradecemos ao Senhor por todas as Graças concedidas nesse encontro, que com certeza trouxe muitas luzes para o caminho de nossas irmãs, e os frutos serão colhidos em sua vida e na missão que realizam.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

"Começaria tudo de novo"

(Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida)

"Em minha experiência vocacional, sinto que Jesus Cristo Mestre teve e tem um carinho especial por mim. Conheci as Irmãs Paulinas aos 17 anos e não tive dúvidas que seria uma delas, pois me encantou o jeito que a Irmã falava de Jesus Cristo e a fora como apresentava a missão. Na caminhada vocacional apareceram as dificuldades, mas maior foi a graça de Jesus Cristo na minha vida. Se fosse neces´sário começaria tudo de novo, por que sintoq ue vale a pena. Não tenho dúvidas de que Jesus Meste me ama, me chama e me envia em missão cada dia".



Ir. Ana Pizzatto, fsp