domingo, 28 de novembro de 2010

Convivência Vocacional em Belo Horizonte

“Sigam-me, eu farei vocês se tornarem pescadores de homens...”
(Mc 1,17)



Neste mês dedicado ao Bem-Aventurado Tiago Alberione, tivemos a alegria de partilhar com as jovens vocacionadas o dom e a graça da vocação paulina presente na Igreja e no mundo. Nos dias 19, 20 e 21 estiveram presentes em nossa comunidade as seguintes jovens: Christine Amorim (Cariacira-ES); Bárbara do Rosário (Itapecerica-MG); Lívia Aparecida (Betim-MG) e Talita Ferraz (Betim-MG).



Estas jovens que estão em processo de descoberta vocacional, estão dispostas a descobrir o caminho que o Senhor deseja para cada uma. A certeza que as leva a percorrer o caminho de Acompanhamento Vocacional é orientada pelas palavras de Jesus: “Sigam-me, eu farei vocês se tornarem pescadores de homens. Eles imediatamente deixaram as redes e seguiram a Jesus” (Mc 1,17-18).


O que mais impressionou as jovens foi à experiência de oração feita por Alberione na passagem do século XX para o século XXI, mediante o forte apelo: “Fazer alguma coisa por Deus e pelas pessoas do novo século...” Desejamos que esse encontro pessoal com Cristo Mestre Caminho, Verdade e Vida continue sendo a verdadeira força e esperança de muitos jovens.

Equipe Vocacional – BH
Ir. Elizete e Ir. Ilanyr

sábado, 27 de novembro de 2010

"Os apóstolos voltaram e contaram a Jesus tudo o que haviam feito."
(Lc 9, 10)
Após alguns meses de experiência apostólica em lugares distintos desse Brasil, a comunidade do noviciado recebeu nessa quinta-feira, dia 25, as noviças do 2ª ano.

Da esquerda: Ana Paula, Ana Karla, Viviane, Rosângela e Viviani
Cada uma chegou de um lugar: Ana Karla veio de Porto Velho - RO, Ana Paula de Belém - PA, Rosângela de Brasília - DF, Viviane de Salvador - BA e Viviani de São Luís - MA.  

Foi um dia de alegria e ação de graças, tanto para as irmãs e noviças que as receberam, quanto para elas, que retornaram à casa após seis meses de intensa vida missionária Paulina. Com certeza elas trouxeram o coração carregado de frutos colhidos nesse tempo.


sexta-feira, 26 de novembro de 2010

São Luís celebra festa de Alberione

Neste dia em que a Família Paulina celebra seu Fundador: o Bem-aventurado Tiago Alberione, as Irmãs e os colaboradores da Livraria Paulina de São Luis - MA iniciaram o dia com uma oração de louvor e gratidão ao Senhor pela santidade vivida por Alberione e deixada como herança para seus filhos e filhas.


A celebração se intensificou com a presença luminosa de Pe. Zezinho e do grupo Trio Ir ao Povo, que alegrou a todos que estavam presentes.


Celebremos e vibremos juntos pelo grande dom de Deus que é a vida do Pe. Tiag Alberione. Que ele interceda por cada um de nós.


FESTA DO BEM AVENTURADO TIAGO ALBERIONE

Em alguns momentos da história Deus escolhe pessoas para serem suas ferramentas na construção de grandes obras que revelam a grandeza do amor que tem pela humanidade. Tiago Alberione foi um desses escolhidos. Foi um pincel nas mãos do artista, como ele mesmo se definiu.



Celebramos hoje na Igreja a memória do Bem-Aventurado Pe. Tiago Alberione, fundador das Irmãs Paulinas, de mais quatro congregações religiosas: Padres e Irmãos Paulinos, Discípulas do Divino Mestre, Irmãs Pastorinhas e Irmãs Apostolinas. Também fundou quatro institutos de vida secular consagrada: Jesus Sacerdote, Santa Família, Nossa Senhora da Anunciação, São Gabriel Arcanjo. E ainda os Cooperadores Paulinos. Dez instituições que juntas compõem a Família Paulina, unidas pela mesma espiritualidade centrada em Cristo Mestre Pastor, Caminho, Verdade e Vida.


A história de Pe. Tiago Alberione é marcada pela simplicidade e pela fé. Nasceu em 4 de abril de 1884 em São Lourenço de Fossano (Cuneo – Itália). Quinto filho de uma família de pobres agricultores. Teve sempre uma saúde muito frágil, o que preocupava sua mãe e a levou a consagrá-lo a Nossa Senhora das Flores.



Berço de Alberione


A primeira iluminação divina que recebeu em sua vida foi aos 6 anos, quando, na escola, respondeu à professora Rosina Cardona que queria ser padre. Demonstrava ser alguém sensível à vontade de Deus e de caráter firme nos estudos e nas atitudes desde muito cedo. Diferente de seus irmãos, que tiveram que abandonar os estudos para ajudar na roça, Tiago persistiu inspirado pelo desejo de ingressar no seminário. Isso aconteceu com um pouco de sacrifício de sua família e o incentivo de seu pároco. Ingressou no seminário menor de Brá em 1896, onde permaneceu até 1900, quando foi demitido por motivos não conhecidos, mas acredita-se que seja por leituras impróprias para seminaristas.
Depois de um tempo de crise e de discernimento ingressou no seminário de Alba, no mesmo ano.



No momento histórico, da passagem do século XIX para o XX brilhou sobre ele uma luz que reorientou a sua vida. Após a missa solene da meia noite houve, na catedral de Alba, uma noite de vigília e adoração ao Santíssimo, da qual os seminaristas podiam participar. Ele ficou diante de Jesus umas quatros horas e assim ele descreve a experiência daquela santa noite:


”Uma luz especial veio da Hóstia, compreendeu melhor o convite de Jesus: ‘Vinde a mim todos...’....Sentiu-se profundamente obrigado a preparar-se para fazer algo pelo Senhor e pelos homens do novo século com os quais viveria. Teve a percepção bastante clara do seu nada, e ao mesmo tempo sentiu: ‘Estarei convosco até o fim dos séculos’ na Eucaristia, e que em Jesus Hóstia podia-se conseguir luz, alimento, conforto, vitória sobre o mal.”

A partir disso todo seu empenho no seminário consistia em preparar-se para aquilo que o Senhor pediria dele. Ordenou-se sacerdote em 29 de junho de 1907. Seu trabalho na diocese foi intenso: professor e diretor espiritual no seminário, pároco, envolvido em congressos sociais e de catequese. Todos os assuntos o interessavam, mas olhava para tudo com a lente que é Jesus Cristo.


A partir de 1914 iniciou-se o período de fundação das congregações. e institutos O carisma doado a ele, pela ação do Espírito Santo, era o de VIVER E COMUNICAR JESUS CRISTO COM OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO. Pe. Alberione compreendeu logo que a obra não era sua, mas da vontade de Deus: “Deus quer esta obra que é sua. A vontade de Deus se cumpriu apesar da miséria de quem devia ser seu instrumento indigno e incapaz”. E tudo o que é de Deus permanece, cria raízes, se consolida no tempo e na história. Pe. Alberione partiu para o céu no dia 26 de novembro de 1971 e foi beatificado pelo Papa João Paulo II em 27 de abril de 2003.


Ele, porém, continua vivo, em todas as partes do mundo, onde estão presentes os membros da Família Paulina que comungam de seu grande ideal: viver e comunicar Jesus Cristo com os meios de comunicação.




Que o Bem Aventurado Tiago Alberione olhe por todos os jovens que buscam o querer amável de Deus para suas vidas!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Pe. Alberione nos conta...

Acompanhe o que Pe. Alberione nos conta sobre o início da Família Paulina:

"Deus reuniu na Família Paulina muitas riquezas: "riquezas de graça" (Cf. Mt 19,29). Algumas riquezas pareciam chegar mais como resultado natural dos acontecimentos; outras mais dos ensinamentos de pessoas iluminadas e santas que acompanharam o período de preparação, nascimento e infância da Família Paulina; outras mais abertamente da ação divina.


... Tanto o começo como o prosseguimento da Família Paulina sempre procederam da dupla obediência: inspiração aos pés de Jesus-Eucarístico, confirmada pelo diretor espiritual; e ao mesmo tempo pela vontade explícita dos Superiores eclesiásticos.


...a Família Paulina teve sinais numerosos e claros de ser querida pelo Senhor e pela intervenção sobrenatural da sua sabedoria e bondade."
Bem aventurado Tiago Alberione
Fundador da Família Paulina

A santidade no cotidiano

Conversamos com o Pe. Antonio Francisco da Silva, ele é um Paulino, que foi, por vários anos, o postulador para a causa dos Santos da Família Paulina em Roma, e agora está morando no Brasil, na Cidade Paulina, em São Paulo.
Confira o que ele nos disse a respeito de como viver a Santidade no Cotidiano:



“Ao falar de cotidiano, eu tenho comigo o meu refrão: é o que Pe. Alberione chamava de “O dia Paulino”. Pe. Alberione entendia assim: ao acordar a gente considera que é o nascimento e ao ir deitar e dormir é como a morte. Mas, entre acordar e dormir há um tempo, um tempo que acolhemos como vestido de eternidade, vivendo a eternidade no tempo. Então as escolhas que fazemos devem ter a qualidade da eternidade, ou seja, da salvação, do Reino de Deus. Que as escolhas sejam santas. Para isso, há nesse dia Paulino um sol que ilumina, que é a Eucaristia, presença de Cristo vivo. Essa santidade do cotidiano faz com que realmente se considere o dom do tempo e do hoje em todas as ocasiões. Na aliança que Deus estabeleceu conosco chamando para esse dia podemos contar com Ele como se diz para o matrimônio: ‘na boa e na má sorte’, ou ‘na alegria e nas dores’. Essa realidade de todo mistério de Cristo vivencio na multiplicidade daquilo que encontro. Eu, como sacerdote posso celebrar a Eucaristia para uma festa de matrimônio mas, ali pode haver alguém celebrando a dor pela morte do pai ou da mãe. Não dá para separar uma coisa da outra. Eu, por exemplo, celebrei a missa de 66 anos de casamento do meu pai e da minha mãe, e celebrava também, o 7º dia de um pai de familia. Passados 52 dias, aconteceu o contrário, eu estava celebrando a missa de falecimento do meu pai e uma festa de bodas. A comunidade é feita de tudo o que está presente e estamos presentes em tudo com a santidade de vida ‘na boa e na má sorte’. Os sofrimentos estão aí e fazem parte e a alegria também mas, é esse espírito que recebemos que faz com que caminhemos. A única coisa importante é não deixar que a tristeza entre porque é a maior inimiga do Reino de Deus. Sofrimento sim, tristeza não! O fim de uma aliança, como o casamento, é quando entra a tristeza. Tem muito valor aquela canção que diz: “Tristeza por que você não vai embora...”

Agrademos ao Pe. Antonio por partilhar um pouco de sua experiência e despertar em nós o desejo de viver a santidade no dia-a-dia!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Encontro sobre Ética com adolescentes

No dia 19 de novembro nós, irmãs Edicléia e Vanderlane, estivemos no Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto (BOMPAR), situado na região Belém, Zona Leste de São Paulo, para um momento de reflexão sobre Ética com os adolescentes que fazem parte do projeto de desenvolvimento socio-educativo do BOMPAR.


Na reflexão sobre ética realizamos algumas dinâmicas, assistimos e analisamos os filmes “Corrente do bem” com o grupo da manhã e “Um Amor para recordar” com o grupo da tarde.

Foi um momento interativo, participativo e espontâneo, onde os adolescentes puderam perceber a importância de estar conscientes de suas atitudes e posturas em todos os âmbitos da vida.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Nova Provincial das Irmãs Paulinas do Brasil

A cada três anos é eleita, para conduzir, animar e responder pela congregação, uma irmã para ser a Superiora Provincial, junto com um Conselho, composto por 4 irmãs.
Depois de um período de discernimento, de oração e confiança no Senhor, nesta semana foi anunciada a nova Superiora Provincial, para os próximos 3 anos (2011 - 2013): Ir. Ninfa Becker.



Que as luzes do Espírito Santo iluminem e conduzam Ir. Ninfa nessa missão!

Encontro vocacional na livraria Paulinas de São Luís

Dia 20 de novembro, as Irmãs Paulinas de São Luis-MA, acolheram com alegria as jovens: Vanessa, Jéssica, Claudiane, Pâmela, Eugênia, Katiane, Elaine, Edivânia e Lílian para uma manhã de Encontro Vocacional.



Este momento iniciou em clima de oração, no qual cada jovem foi conduzida a tomar consciência da presença de Deus em suas vidas, dos dons recebidos Dele, da necessidade que temos de escutar e alimentar nossa existência e nossa fé com a Palavra de Deus.
Em seguida, de forma interativa, Ir. Alice apresentou o carisma, a vida, missão e espiritualidade Paulina. Foi um momento de graça para essas jovens que estão buscando descobrir a vontade Deus.


Elas se encantaram com a vida e missão Paulina e os Fundadores: Pe. Tiago Alberione e Ir. Tecla Merlo. Saíram do encontro felizes, radiantes, e desejando continuar conhecendo nossa vida!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Gabrielino faz a Primeira Profissão Religiosa em Recife

No mês de novembro recordamos, de maneira especial, o nosso fundador: Pe. Tiago Alberione, cuja memória celebraremos no dia 26 e, sem dúvida, ele vibrou com o Sim de mais um filho da Família.



 A comunidade das Irmãs Paulinas do Recife, acolheu com imensa alegria alguns membros da Família Paulina para a celebração dos primeiros votos do Noviço Gabrielino, Anselmo Cabral: Estiveram presentes as Irmãs Pias Discípulas, Germana (Postulante Anunciatina), Vicente (postulante Gabrielino), Cooperadores Paulinos e amigos do Neo-professo.


Acolheu os votos de Anselmo, em nome da Pia Sociedade de São Paulo, e presidiu a celebração o Pe. Vitório Saraceno, responsável pelos Institutos Paulinos no Brasil. Participou também o Pe. Josivan, pároco de Anselmo e amigo da família.



A celebração, foi linda e emocionante. A animação e organização ficou por conta das Irmãs e aspirantes Paulinas.



"A Família Paulina tem uma só espiritualidade: viver integralmente o Evangelho, seguir o Divino Mestre Caminho, Verdade e Vida. Viver 'em Cristo', santificando: a mente, porque ele é a Verdade; a vontade, porque ele é o Caminho; o coração, porque ele é a Vida".
(Pe. Tiago Alberione)

domingo, 21 de novembro de 2010

UMA VIDA OFERECIDA PELA MISSÃO PAULINA

Em 1918 nascia para as primeiras Filhas de São Paulo (Irmãs Paulinas), na Itália, uma “ocasião para fazer o bem”, para exercer o apostolado da boa imprensa. A oportunidade consistia em dirigir uma tipografia em Susa e imprimir o jornal diocesano.

As situações eram adversas, pois eram apenas um pequeno grupo sem experiência alguma.
 Antes, porém, de partirem, receberam uma grande provação. Uma das jovens, chamada Clélia Calliano adoeceu e em menos de dez dias partiu para o céu.

Mas a vida dessa jovem com certeza foi acolhida por Deus na oferta pela missão que se iniciava, como escreveu Pe. Giaccardo, contando as últimas palavras que ela disse ao Pe. Alberione:

“Se Deus me permitir viver, quero consagrar todas as minhas forças para a Boa Imprensa, mesmo que tenha que trabalhar somente na cozinha e varrer o lugar em que os outros trabalham; parece-me que isso já seria muito. Se eu morrer, ofereço a minha vida para a Boa Imprensa, e se eu for para o Paraíso, rezarei sempre pela Boa Imprensa”.




As irmãs permaneceram em Susa, em meio a dificuldades de todos os tipos, a frente do jornal “La Valsusa” até 1923.
Com certeza a jovem Clélia foi intercessora e protetora dessa missão! Um testemunho de santidade, de quem seguiu Jesus e por ele ofereceu a vida!

sábado, 20 de novembro de 2010


IRMÃ LORENCINA SMIDERLE


Quando bate a saudade ao recordarmos a vida uma alguém que foi muito amado por nós, parece que foi tão rápido o tempo que passou conosco, apesar de ter sido relativamente bastante.

Ir. Lorencina foi assim. Desde sua adolescência, quando aos 16 anos entrou na congregação até os 80 anos, quando em 2004 Deus a chamou para a vida eterna, ela passou entre nós simplesmente fazendo o bem.

Amou profundamente sua vocação, o carisma e a missão Paulina. Dedicou os melhores anos de sua vida na propagação da Palavra de Deus, visitando fábricas, quartéis e hospitais no estado de São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná. Alicerçada em Cristo Mestre realizava qualquer atividade com a alegria de discípula, tanto na divulgação da Palavra como nas coisas mais simples.

Viveu no espírito do apóstolo Paulo: “Por causa de Cristo, porém, tudo o que eu considerava como lucro, agora considero como perda. E mais ainda: considero tudo uma perda, diante do bem superior que é o conhecimento do meu Senhor Jesus Cristo. Por causa Dele perdi tudo, e considero tudo como lixo, a fim de ganhar Cristo e estar com Ele.” (Fil 3 7-9)



Ela se despediu desse mundo numa manhã de sábado, realizando sua missão diária de distribuir o pão. Enquanto carregava o cesto de pão do refeitório para a cozinha, um fulminante ataque cardíaco a derrubou e lhe abriu a porta da eternidade.

Que Ir. Lorencina interceda junto à Deus por todos as (os) vocacionadas (os) e por todo nosso povo!



sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Oração para obter graças do Venerável Ir. André Borello

Trindade Santíssima,
Pai, Filho e Espírito Santo,
eu vos dou graças, com toda a Igreja,
em Cristo Mestre, Caminho, Veradade e Vida,
pela santidade, luz e graça
que concedestes a vosso servo fiel André Borello
que, a exemplo do apóstolo Paulo,
trabalhou para que o Evangelho fosse pregado
com a comunicação social.


Concedei-me a graça de seguir seus exemplos
e de imitar seu espírito.
Concedei-me também,
pela sua intercessão,
a graça que agora vos peço ...

Glória ao Pai...


Quem alcançar graças ou favores por intercessão do Servo de Deus André Borello, por favor, comunique por escrito ao:

Superior Provincial
R: Francisco Cruz, 199 - Vila Mariana
04117-091 - São Paulo - SP

Modelo de Santidade da Família Paulina

IR. ANDRÉ BORELLO

Servo de Deus

Ricardo André Maria Borello nasceu em Mango, Itália, a 8 de março de 1916. No dia 8 de Julho de 1936, com 20 anos, ingressou nos Padres e Irmãos Paulinos.

Consagrou-se como Discípulo do Divino Mestre (irmão), seguindo o exemplo de São José tanto no trabalho quanto na oração. Seu trabalho no auxílio aos padres, no apostolado da comunicação social, era oferecido para a própria santificação e redenção da humanidade. Sempre humilde, disponível e amante da vocação e missão dos Paulinos, ofereceu a própria vida pelo desenvolvimento da congregação. Oferecimento que foi acolhido pelo Senhor em 4 de setembro de 1948, quando partiu para a casa do Pai. Aos irmãos de congregação deixou esta mensagem: “Amemo-nos uns aos outros, adeus e até o céu”.

O Papa João Paulo II, em 3 de março de 1990, reconhecendo sua heroicidade, assinou o decreto proclamando-o venerável.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Santidade e Juventude têm tudo a ver!

Conheço jovens, cujo desejo é ser santo e de fato na lista dos santos e santas há exemplos de jovens que deram e continuam dando a vida por um ideal, porque trazem dentro de si a busca de felicidade para si e para os outros. Nesse sentido, continuam sonhando, arriscando-se, mesmo em meio às dificuldades. Mas isso é possível dentro de um ritmo de vida tão acelerado como o nosso; com tantas outras propostas, qual vento que nos joga para todos os lados? Será que pode haver um novo tipo de santidade, com que características?


Para responder a esta pergunta, bastaria olhar o testemunho de jovens e adultos que vivem o Evangelho no dia a dia ao nosso lado, com simplicidade e dedicação na própria família, nos estudos, no trabalho, nas comunidades, nos relacionamentos, na oração, nos momentos de lazer, enfim, nas pequenas coisas realizadas com amor. São inúmeros os exemplos e não precisa ir longe para encontrar pessoas que trazem dentro de si um forte apelo à santidade e a vivem com ousadia em todos os tempos e lugares.



Santidade é um convite, dom, graça de Deus, que espera corações abertos, generosos para acolhê-la, daí por que santidade e juventude têm tudo a ver. Todos são chamados à santidade: “Como é santo, Aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós” (1 Pd 1,15). Nesse sentido o Papa Bento XVI dizia recentemente aos jovens do Reino Unido: “Há algo que está muito forte em meu coração para dizer a vocês. Tenho esperança que entre vocês, que hoje estão aqui me ouvindo, existam alguns futuros santos do século XXI”. Acredito que estas palavras já estão fazendo eco no coração de muito jovens, como em você.

Ir. Bernadete Boff

quarta-feira, 17 de novembro de 2010



IRMÃ MARIA DE LOURDES BELÉM


Ainda menina, com apenas 11 anos, deixou a família para seguir Jesus Mestre na vida Paulina.
Ir. Arcângela Girardi, da comunidade de Curitiba-PR, se lembra do dia em que a recebeu em 1943: “Lembro quando chegou a menina Maria de Lourdes Belém. Foi-lhe mostrado tudo, inclusive a gráfica. Era bonito ver como olhava tudo sorridente. Tinha um laço de fita nos cabelos, prestava atenção nas máquinas. Chegou cheia de esperança no bom Deus que a acolhia com amor em sua nova casa e missão”.

Esperança que firmou nela a perseverança. Foram 66 anos de Vida Consagrada Paulina, até que o Senhor a chamou de volta para si no dia 18 de fevereiro de 2009.

“Comunicadora exemplar em casa, na comunidade, com seu relacionamento simples, transparente, delicado, carregado de ternura, capaz de diálogo, perdão e doação gratuita; e comunicadora na missão como escritora, tradutora e com sabedoria e bom senso selecionava os livros para as livrarias, e qualquer outra atividade era realizada com o coração de apóstola, assim a descreveu Ir. Eide de Bortoli (Superiora Provincial), no dia de seu velório.

Uma de suas últimas palavras, quando estava hospitalizada, foram: “Mestra Tecla disse que se deve sorrir, mesmo na dor!”. Dessa forma ela entregou a vida!

Um testemunho de santidade, vivido na simplicidade do dia-a-dia, como uma flor que brota no jardim, se abre na primavera, embeleza a terra com seu colorido e depois se apaga no silêncio. Assim foram os quase 77 anos que Ir. Maria Belém viveu entre nós, uma primavera!

terça-feira, 16 de novembro de 2010


Entre em contato conosco:

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Como viver a SANTIDADE no cotidiano?


"Creio que a santidade é a presença do Espírito de Deus em nós. E o Espírito de Deus que é Santo nos inspira e nos sugere desejos santos como os de Jesus. E a mim, a nós, cabe dar atenção a esses desejos santos para que se tornem ações concretas de bem e de belo, para os outros. O Pe. Alberione, nosso querido fundador diz que Jesus quer pensar com nossos pensamentos, sentir com nossos sentimentos, agir pelas nossas ações e em nós amar o Pai e as pessoas. Creio que a santidade é esse movimento do Espírito Santo em mim, em nós, que me faz perguntar o que e como Jesus faria se estivesse no meu lugar, para resolver situações simples do dia a dia até as mais complexas. E o que encontrei de mais complexo é amar a Deus sobre todas as coisas e amar o próximo do jeito de Jesus."

Ir. Josaefa Soares dos Santos

domingo, 14 de novembro de 2010

SANTIDADE

Santidade, ideal sublime.

O mais importante para o cristão!

É possível realiza-lo porque Jesus recomendou-nos, “SEDE SANTOS COMO É SANTO O VOSSO PAI”.


Santos e Santas são homens e mulheres que pautam sua vida segundo a vontade de Deus.


São os que põem em prática as BEM-AVENTURANÇAS, fazem delas o seu programa de vida.

Vivem o essencial em vista dos bens celestes.

"Santidade é a graça de fazer as coisas simples à luz de amor de Deus.” Santa Terezinha

O ideal de Santidade fica hoje bem longe de nossa sociedade porque nos preocupamos demais com formação intelectual, física e em muitas outras, em busca de sucesso.

Os santos semeiam motivos de esperança, de harmonia, paz e libertação.

Vale a pena investir na vida, o tempo precioso em busca desse ideal.


Há muitos jovens que entendem sobre santidade e partem para essa nobre aventura no seguimento de Jesus.


Há muita falta de santos no mundo.

SANTIDADE é ideal dos que crêem e arriscam a própria vida por amor aos irmãos.

SANTIDADE é serviço, é doação na gratuidade e na profunda intimidade com o Senhor


Os Santos são alegres mesmo no sofrimento porque aprenderam as lições do amor na escola do Divino Mestre Jesus Cristo.

Ir. Maria Tereza de Souza

sábado, 13 de novembro de 2010


IRMÃ NAIR DE BONA


Uma irmã silenciosa até na hora da partida eterna. Assim foi a existência de Ir. Nair de Bona, segundo algumas irmãs que conviveram com ela.

Viveu apenas 44 anos dos quais 31, foram na vida Paulina. Vida feita dom de si mesma na consagração e doação total aos irmãos. Dedicou a vida às vocações, ajudando jovens no discernimento vocacional; na formação das jovens para a vida paulina e na vida Paulina, como coordenadora de comunidades e, por fim, na livraria, local onde entregou seu espírito a Deus, no fim de um longo dia de missão. Naquela tarde de 17 de maio de 1983, quando uma ‘dorzinha’ de cabeça era o primeiro sinal de que o Pai a chamava de volta a Casa. E ela respondeu logo, no sábado, 21 de maio, na festa da Rainha dos Apóstolos, deixava esta vida e um testemunho de bondade e santidade para todos nós.

Algumas irmãs contam sobre ela:

“Vivi muito tempo com Ir. Nair, tempo de aspirante, de postulante, noviça e foi até minha superiora em Belo Horizonte... Ela foi uma pessoa do SIM. Realmente jamais a vi dizer um NÃO. Sempre disse SIM a Deus, a congregação à qual devotava grande amor, e também às irmãs.”
(Ir. Letícia Pilecco)


“Sempre tinha gestos de delicadeza, fraternidade e sobretudo grande capacidade de escuta. Deixou-se trabalhar por Deus em cada instante de sua vida ao qual respondia com gestos concretos de fidelidade, piedade, simplicidade, fortaleza e no silencio sempre fez muito bem a todos os que dela se aproximavam... foi colhida cedo porque era fruto maduro para a casa do Pai.”
(Ir. Albina Paludo)

Ir. Nair escreveu em outubro de 1982, durante um Capítulo Províncial:

“... O meu desejo é este: voltar à minha comunidade com este objetivo que para mim é essencial: Testemunhar com todo o meu ser o Evangelho, na perspectiva do perdão e reconciliação – dar a vida – a vida do outro vale mais que a minha vida. Esperança em fazer acontecer aquilo que os outros não fazem acontecer.”


Ir. Nair de Bona interceda por todas as jovens que sentem o chamado para seguir o Senhor na vida Paulina!



O ideal de Santidade

Na Solenidade de todos os Santos (07/11), Ir. Lourdes, a noviça Ana Paula e a vocacionada Amanda estiveram reunidas com jovens crismandos da Paróquia São Miguel Arcanjo em Belém-PA, para uma manhã de espiritualidade, com o tema “SANTIDADE”. Junto a equipe de catequistas refletiram sobre o tema “O ideal de Santidade”, com o texto proposto pelo Guia Vocacional da Revista Família Cristã, e um documentário sobre Chiara Luce – Um designo maravilhoso.





Reunidos em grupos os jovens discutiram sobre as questões:


  • É possível viver hoje “O ideal de Santidade”?
  • Como vivo a santidade na família?
  • Oriento-me por aquilo que a mídia mostra ou pelos ensinamentos do Evangelho?




De forma criativa e consciente eles deixaram seu recado a luz de Chiara Luce, “Mesmo sendo jovem , posso ser cristão autêntico, posso ser SANTO”.


O encontro concluiu-se com o testemunho da vocacionada Amanda, ela partilhou com os jovens sua experiência de FÉ e VIDA, seu desejo de estar cada vez mais nos caminhos de Deus.




Nós irmãs acompanhamos esses jovens com orações e desejos de SANTIDADE!

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Como viver a SANTIDADE no cotidiano?

"Tornar-se santo ou santa, percebo que é um caminho que empenha a vida toda. Para mim, viver a santidade no cotidiano é viver a prática do Amor a Deus e ao próximo na total liberdade.


É um convite exigente, mas ao mesmo tempo, recordo que Jesus nos apresenta o Pai como ideal de santidade: “Sede perfeitos como o Pai celeste é perfeito” (Mt 5,48). Esse convite de Jesus me faz perguntar sempre se os meus pensamentos, sentimentos e atitudes do coração estão de acordo com o valor da pessoa humana.

Vejo que o caminho da santidade no cotidiano hoje é exigente, mas não é impossível, pois são tantas as realidades que clamam o meu, olhar, tocar e amar.

Pe. Alberione, dizia que, “santidade é a teimosia no cumprir a vontade de Deus, sempre, não obstante qualquer dificuldade” sem dúvida, foi essa teimosia que moveu o coração de tantos santos e é a mesma que move o meu coração no cotidiano, começando das pequenas coisas. È um desafio, porém vale a pena, ariscar-se por esse ideal."

Ir. Elivânia Ferreira dos Santos
Comunidade de Recife - PE

O mês missionário em terras mineiras

“A Igreja é missionária por sua natureza, porque tem sua origem na missão do Filho e do Espírito Santo, segundo o desígnio do Pai” (DA 347).


Sabemos que o mês missionário é por excelência um mês em que recordamos nosso compromisso batismal: anunciar o Evangelho a todos! Esse mês foi vivido, pelas irmãs Paulinas da equipe vocacional de Belo Horizonte – MG, como uma oportunidade de despertar no coração de muitos jovens o desejo de “fazer algo por Deus e pelas pessoas”, desejo que o próprio Bem-Aventurado Tiago Alberione sentiu quando ainda era um jovem seminarista.


Como toda missão exige desprendimento, abertura e acolhimento, nossa experiência no decorrer do mês missionário nos levou a compreender e vivenciar uma profunda alegria em partilhar o dom e a graça do carisma paulino com o povo mineiro. Com o espírito de COMUNHÃO e PARTILHA, destacamos algumas cidades em que estivemos presente realizando encontro nas Escolas; na Catequese e com as famílias: Arantina; Bocaina de Minas; Liberdade; Pereirinhas e Ipatinga.




Apesar dos inúmeros desafios que afetam a Pastoral Vocacional hoje, sentimos que o contato com o povo e principalmente com o mundo jovem, nos fez encontrar algumas luzes para uma proposta vocacional mais coerente com os ideais e as buscas do jovem em sua realidade concreta: se aproximar; ouvir e caminhar são verbos que destacamos como sinais de vida e de esperança para nos orientar rumo a uma proposta vocacional que estimule o jovem a viver com alegria e amor o seu compromisso de vida humana, cristã e assim, possa responder com coerência ao estado de vida que o Senhor lhe chama a viver.



São Paulo, consciente de sua missão como cristão proclamava: “Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho” (1 Cor 9,16). Que esse grande Apóstolo nos ajude a viver sempre mais a alegria de comunicar Jesus Mestre Caminho, Verdade e Vida ao mundo de hoje.




Ir. Elizete Moura e Ir. Ilanyr Felipe
Equipe Vocacional de Belo Horizonte - MG