terça-feira, 31 de agosto de 2010


Uma inquietação...

A aspirante Luisa Andreia Zarpellon, natural de Nova Mutum - MT, partilha com você como percebeu o chamado de Deus.


"Sentia dentro de mim uma inquietação muito grande. Às vezes tinha, e ainda tenho a impressão de que o mundo anda bagunçado, onde ninguém é de ninguém, cada um é por si, e só. As pessoas se distanciam ou não querem Deus e andam vagando sem rumo. Nesta busca encontrei as Paulinas através da internet, e comecei uma caminhada vocacional. Hoje, como aspirante paulina percebo a importância e a força que tem a comunicação nesse processo e por isso sinto-me feliz por estar ingressando nessa família. É uma longa jornada e peço a Deus que me dê forças para continuar e me mostre maneiras de levar a todos a boa nova de Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida."

Despertar da minha vocação...

A aspirante Carme Carla de Araújo, tem 24 anos, é natural de Triunfo-PE. Ela nos conta como foi o despertar de sua vocação:




"Sou Carla, morava no interior de Pernambuco, no sítio Oiticica, zona rural do município de Triunfo. As pessoas sempre falavam que eu ia ser freira ou tinha jeito de freira, por gostar de rezar, ler a Bíblia e não namorar. Porém, não pensava nisso. Sentia o desejo de anunciar Jesus, mas não sabia como. Foi então que um primo meu conheceu uma Irmã Paulina e falou de mim; ela pegou meu endereço e entrou em contato comigo. No início tive muito medo, mas Deus me deu coragem e me lançou para frente, como diz São Paulo. Hoje, estou no aspirantado vivendo essa linda experiência; acreditando sempre que: “Tudo posso naquele que me fortalece.” (Fl 4,13)."

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Vocação

Hoje, a aspirante Rosana, de Recife-PE, partilha com você um pouco de sua experiencia vocacional na vida Paulina. Ela é natural de Andradas-MG, tem 22 anos e ingressou no início deste ano na congregação.





"Sempre senti um enorme desejo de evangelizar sem reservas. Hoje, como aspirante Paulina, percebo o quanto Deus tem sido generoso comigo. Anunciar Jesus Mestre Caminho, Verdade e Vida através dos meios de comunicação. Exercitar diariamente o equilíbrio: mente, vontade e coração, tem sido o sustento neste período de discernimento. É fantástico perceber como Deus nos chama na liberdade e a nós cabe dar uma resposta livre e sincera. Sinto-me feliz e acolhida na Família Paulina. Peço a Deus que me ajude a viver com fidelidade e compromisso esse maravilhoso mistério que é a vocação. "

Rosana de Fátima Lopes

domingo, 29 de agosto de 2010


Parabéns aos Catequistas!

A Igreja reza hoje, em especial pela vocação dos catequistas. Eles, que são educadores da fé. Apontam Jesus para nossas crianças. Formam os cristãos-católicos de amanhã.

Dom Orlando Brandes, arcebispo de Londrina diz: "Você catequista, é eleito e eleita de Deus, que fala em nome da Igreja e ensina a sã doutrina. Nobre é sua tarefa, árduo o seu trabalho, incomensurável o bem que realiza. Você está no coração da Igreja, porque veio do coração de
Deus, para chegar ao coração do mundo. Você é anjo que anuncia, é apostolo
que ensina, é mártir que dá testemunho."




Parabéns Catequista por responder a tão nobre vocação!

sábado, 28 de agosto de 2010


Expêriencia vocacional

Luana e Mariana moram em Curitiba – PR e passaram oito dias na comunidade das Irmãs Paulinas em Canoas-RS, a fim de conhecer melhor a congregação por meio da convivência com as irmãs e as aspirantes, as jovens que estão em formação.
Elas deixaram uma mensagem a todos/as os/as jovens:




“A todas as pessoas que irão ler esse testemunho, quero passar muita paz e muita alegria. Porque foi isso que eu senti em meu coração ao passar esses oito dias aqui na casa das irmãs paulinas em Canoas – RS.
Quero dizer a todas as jovens que vale a pena passar um tempo com as aspirantes (jovens que estão em formação) e irmãs para descobrir se é essa a sua vocação. Ver se está mais perto de Jesus, todos os dias, e trabalhar só por Ele é o que te faz feliz. Se é desse modo, através de missões e orações, que Deus quer você.
Venha! Não tenha medo, pois o amor com amor se paga”.
Mariana Godói






“Durante esses poucos dias aprendi a importância que há em transmitir o Evangelho e os ensinamentos de Jesus Cristo às pessoas, e que, além de estar fazendo o bem a outros irmãos, recebo de volta de Jesus a paz, a alegria e a serenidade em todas as situações. Foi a melhor experiência da minha vida e acho que posso dizer que me aproximei um pouco mais de Jesus e ele de mim.
Digo a todos que também podem sentir esse amor e misericórdia da qual Jesus está transbordando. Ele espera por você para emprestar-lhe seus olhos a fim de que você tenha uma nova maneira de ver o mundo”.

Luana Godói

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

JOVENS VISITAM O PARQUE GRÁFICO

O Parque Gráfico e a Livraria Paulinas da Cidade Regina (Rod. Raposo Tavares, Km 19, 145 – São Paulo- SP), receberam ontem, 26/08, vinte jovens, entre 14 e 18 anos, do SENAC. Eles são estudantes do ensino médio que fazem um curso profissionalizante, chamado PET (Programa de Educação para o Trabalho). O grupo foi acompanhado pelas professoras Eliana Macedo e Maria Aparecida Ferreira.


A visita começou com um encontro em que as noviças Flávia e Karina apresentaram um pouco de quem são as Irmãs Paulinas e sua missão. Depois, com um teatro lúdico, as noviças Daiane e Mery mostraram o valor do livro e introduziram um vídeo que conta toda a história do livro. Concluíram contando um conto do livro: “Três contos Africanos de Adivinhação” dos autores: Maurício Veneza e Rogério Andrade Barbosa. Os alunos também puderam, por meio de uma exposição, conhecer o processo de produção do papel e do livro.

Feitas as apresentações, seguiram para a gráfica, onde viram os livros sendo impressos, dobrados, encadernados, brochurados, grampeados, cortados, empacotados e expedidos. Alguns colaboradores explicaram e mostraram o que cada máquina fazia.




Rostos alegres e agradecidos podiam ser vistos nos jovens no final dessa gostosa tarde. Com certeza, após conhecerem a história do livro e como ele é produzido, seus olhares nunca mais serão os mesmos sobre esse valioso meio de comunicação, que além de conhecimento, leva às pessoas cultura e vida.


...olhei para o horizonte e respondi que SIM!


"Sou Marly Diamantino, sexta entre nove irmãos, nasci no povoado de Gameleira no município de Coelho Neto - MA. Conta minha mãe que quando nasci era um dia de muita chuva, o que para os mais velhos da família, simboliza dia de alegria. Morei nesse interior por nove anos. Depois nos mudamos para a cidade de Coelho Neto - MA.
Minha madrinha me ensinou a rezar o "louvado seja" antes da sua benção, mas eu não sabia direito. Lembro-me de suas palavras: “um dia você vai aprender direitinho!” E, realmente aprendi e sinto-me feliz.
Desde criança sempre gostei de santos, tenho uma imagem de Jesus até hoje, sem os pés e sem os braços. Lembro que quando era época de natal embrulhava algumas caixinhas de fósforo como se fossem presentes e colocava em seus pés como oferta e agradecimento.



Um dia a minha cunhada vendo o meu jeito de ser e de participar das atividades na paróquia e o meu desejo de sempre fazer as pessoas felizes, falou-me que queria apresentar-me a uma amiga sua que era freira Paulina e que se chamava Ir. Delma. Até então, eu não conhecia o que era freira. Quando, numa tarde ela veio me conhecer e nós conversamos. Ela me olhou e perguntou se eu queria ser freira, eu olhei para o horizonte e respondi que Sim. Um sim que foi se fortalecendo com o tempo e com meu desejo de saber se realmente essa seria a vontade de Deus. Em 2004 recebi a primeira carta da Ir. Ana Gleisy, e a partir dessa carta e o contato com outras paulinas da cidade fiz um processo de discernimento da vontade de Deus em minha vida. Em novembro 2006 fiz a primeira convivência na comunidade de São Luís e no ano seguinte entrei na congregação das Filhas de São Paulo, as Irmãs Paulinas, onde somo forças para formar nas pessoas o Mestre que se apresenta na sua totalidade como Caminho, Verdade e Vida. "

Marly é postulante Paulina e mora em São Paulo.

"Até que Cristo se forme em vós. Em mim, em ti, em nós."

quinta-feira, 26 de agosto de 2010


Elas seguiram o projeto de Jesus...

video

Um livro sobre VOCAÇÃO


A partir dos grandes vocacionados da Bíblia como Abraão, Sara, Moisés, entre outros, Carlos Mesters, autor do livro: Vai! Eu estou contigo, Editora Paulinas, 2010, procura responder àquelas questões que todos nós, em algum momento da vida, nos perguntamos: o que Deus quer de mim? O que Deus quer de nós? Qual será minha vocação?
Um livro preparado especialmente para quem toma a vida nas mãos e procura descobrir a vontade de Deus para suas vidas, para os grupos que se reúnem para refletir sobre sua vocação; a todos que fazem parte da pastoral vocacional e que buscam material bíblico para animar o seu trabalho com os vocacionados. Todos encontrarão no testemunho das vocações bíblicas estímulo para uma resposta vocacional vivida à luz da Palavra de Deus e comprometida com o seu projeto.
Você pode adquirir este livro clicando no link: http://www.paulinas.org.br/loja/DetalheProduto.aspx?IDProduto=9144

quarta-feira, 25 de agosto de 2010


CONVITE PARA OS JOVENS


O chamado de Deus

A vocacionada Rafaelen Mingrone de Maringá-PR partilha com você o que pensa sobre o chamado de Deus.




"O chamado é para todos. Somos chamados a viver o dom da vida e nela desenvolver um caminho de entrega nas mãos de Deus, para realizar sua obra. Somos convidados a proclamar o AMOR DE DEUS e seu Reino. O que Ele mais quer é que estejamos junto d'Ele e da comunidade. Deus chama e dá qualidades para assumir o chamado."

terça-feira, 24 de agosto de 2010

 

Desejo de ser de Deus

Quem partilha com você hoje como o chamdado de Deus se manifestou em sua vida é a postulante Paulina Regina Guimarães Garreto. Ela deixou sua cidade natal, Anapurus-MA, para seguir Jesus na vida Paulina no início de 2008, hoje tem 21 anos e nos conta...

"Sempre tive o desejo de ser inteiramente de Deus. Isso para mim só poderia acontecer sendo freira, pois uma irmã é uma pessoa de Deus. Então eu ajudava na paróquia da minha cidade, Anapurus-MA. Quando tinha 17 anos comecei a apresentar um programa de rádio para os jovens, o que para mim significava levar Jesus para eles. Um dia fui conversar com meu pároco, Pe. Antonio de Pádua, sobre essas inqueitações que eu tinha. Ele me falou das Irmãs Paulinas que anunciam Jesus atravás dos meios de comunicação. Eu fiquei pensando que as irmãs anunciavam Jesus apenas por meio do rádio e me perguntava: "mas será que existe mesmo irmãs que vivem assim?". Até que conheci uma Irmã Paulina, a Ir. Iracema Leal, que me explicou que as Irmãs Paulinas vivem e comunicam Jesus com todos os meios de comunicação, e não apenas com o rádio. Eu me encantei com a missão Paulina pois ela leva a Palavra de Deus às pessoas. Por causa de Jesus e pelo desejo de viver e anunciá-lo é que eu vim aqui e estou na congregação. É uma Graça de Deus viver essa experiência e renovar todos os dias esse sim, pois é Jesus que me firma no seu seguimento. Sou agradecida ao Senhor pelo dom da vocação e ainda mais a vocação paulina, que me aproxima de Deus e me ensina a encontrá-lo e ser sinal de salvação para a humanidade."

segunda-feira, 23 de agosto de 2010


Encontro de catequistas no noviciado

Domingo, dia 22, aconteceu na casa do noviciado, em São Paulo-SP, um encontro com nove catequistas da comunidade Nossa Senhora do Rosário (Coahb - Munck). As noviças Flávia e Karina conduziram o encontro sobre o livro de Jonas, tema do mês da Bíblia desse ano.




A leitura em grupo do texto de Jonas e a partilha ajudaram os catequistas a refletir sobre sua vocação e os desafios da missão que realizam. Assim como a encontrar meios para aproximar as crianças do texto bíblico.



O encontro terminou com com uma mensagem do arcebispo de Londrina, Dom Orlando Brandes, que exortava: "Precisamos catequizar nossos próprios corações, ou seja, primeiro falar “com Deus”, para depois falar “de Deus”.", numa Ação de Graças pelo dom da vocação do catequista.


domingo, 22 de agosto de 2010




Paulinas na Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Encerra hoje, em São Paulo, a 21ª Bienal Internacional do Livro, que teve início no dia 12 de agosto no Anhembi.

A Paulinas Editora, mais uma vez esteve presente nesse grande evento de cultura e lazer. Com uma grande variedade títulos e atividades culturais.






A grande inovação deste ano no estande de Paulinas, é a história do principal personagem da Bienal: o livro. Contada de forma lúdica pelo arte educador Gesiel de Oliveira.





Ele aborda desde como o homem se comunicava na pré-história até a importância que alguns países tiveram no desenvolvimento da escrita e termina mostrando como é o processo da produção de um livro hoje.






Paulinas Editora na Bienal: Rua D / E

sábado, 21 de agosto de 2010

Ação de Graças

Ir. Elizete partilha conosco sua Ação de Graças, proclamada na celebração eucarística de sua Profissão Perpétua:

"Em meu coração brota a certeza de que “mesmo que alguém fosse o mais perfeito dos homens, mas se lhe faltasse a verdadeira sabedoria, que só provém de Deus, ele nada valeria” (Sb 9,6).
Hoje vivo a alegria não só de nascer para a uma vida nova, mas de deixar que a vida se revele em meu ser da mesma forma que Maria, ao proclamar o seu Sim a Deus permitiu que o seu Projeto se realizasse, mesmo em meio à impossibilidade humana. Pois se para Deus “nada é impossível” não posso jamais duvidar de que “encontrei graça diante de d’Ele” (Lc 1, 30), para que eu seja no mundo um sinal de seu Amor e de sua Misericórdia.
Sou profundamente grata a Deus que me chamou à vida, que me proporcionou crescer numa família cristã que me ajudou a cultivar os valores da fé, da solidariedade e do amor.


De modo especial, expresso minha gratidão a Deus por celebrar o meu SIM neste mês dedicado às Vocações, de particularmente no dia em que celebramos o dom especial da paternidade. Recordo com alegria o dom e a graça de ter tido um pai que contribui fortemente com a minha vocação religiosa. Agora contemplando a Glória do Senhor, tenho certeza que participa comigo, de forma íntima e particular, desta minha entrega definitiva a Deus. A minha mãe Inês, que com sua fé, coragem e sabedoria soube me ajudar a fazer essa entrega de vida. E a cada um dos meus irmãos pelo incentivo e carinho. Louvo e agradeço ao Senhor pelo dom da família!
Sou grata a Deus pelo dom da Vocação Religiosa Paulina. Como Religiosa, assumo viver o caminho da Caridade como único a ser percorrido. Desse modo, assim como o Coração de Jesus é grande, essa mesma magnanimidade deve se fazer presente em minha vida e caminhada. Pois assim como são Paulo, podemos ter certeza de que “o amor de Deus foi derramado em nossos corações” (Rm 5,5) e agora me resta saber cultivá-lo de maneira serena e madura!
A cada membro da minha Congregação Religiosa, Pia Sociedade Filhas de São Paulo, Irmãs Paulinas, a minha eterna gratidão, por me ajudar a assumir com amor, responsabilidade e alegria a missão de Evangelizar através dos meios de Comunicação, seguindo o exemplo fiel do Bem-Aventurado Tiago Alberione e de Irmã Tecla Merlo.
Ao unir-me para sempre a Cristo sinto que minha fé se alimenta pelas seguintes palavras do Senhor: “Quem fica unido a mim, e eu a ele, dará muito fruto...” (Jo 15, 5). Esta é a certeza que nasce da intimidade com o Mestre me faz compreender que a comunhão com a Videira nos torna sempre mais fecundos e capazes de assumir a vida em plena união com o Pai. Estou certa de que compreender a fecundidade na dimensão da fé é confiar que jamais seremos estéreis se permanecermos plenamente com Cristo.
Sentir meu coração vibrar de alegria é o mesmo que permitir que Deus continue agindo na minha história por meio da graça que Ele nos concede como consagrados: gerar vida. Hoje compreendo melhor o que significa a maternidade e a paternidade espiritual, porque experimento que a essência desse dom ultrapassa o aspecto biológico e nos permiti exercer a missão de sermos “mães” e “pais” da humanidade que clama por gestos concretos de responsabilidade, de amor e de justiça.
Às vezes os desafios pareciam serem desproporcionais com minhas capacidades. As limitações pareciam ganhar visibilidade nos momentos mais exigentes. Contudo, a fé no chamado de Jesus me fez renovar cada dia esta certeza: “Não tema, eu estou com você!”. Em cada experiência pude sentir que a graça de Deus supera toda fraqueza humana.
Sempre tive o desejo de encontrar algo que fosse duradouro, sincero e que me desse à oportunidade de viver com intensidade cada momento de minha vida. Hoje, proclamo que encontrei definitivamente o sentido e a razão de ser: Viver e Comunicar Jesus Mestre Caminho, Verdade e Vida, percorrendo o exemplo de amor e fidelidade do Bem-Aventurado Tiago Alberione e Ir. Tecla Merlo. No decorrer de treze anos de caminhada e formação para este SIM definitivo posso afirmar que de fato encontrei o verdadeiro lugar para depositar o meu tesouro: dedicar-me para sempre ao anúncio do Evangelho!


Resta-me agora confiar plenamente a Deus e pedir a cada um e uma de vocês aqui presentes que rezem não apenas por mim, mas também por todas as vocações que o Senhor suscitar nesta comunidade. Peço a Trindade Santa que me ajude a viver com Sabedoria, Fortaleza e Discernimento e que cada dia eu possa aprender a ser sempre mais “feliz, fiel e fecunda” na vida e na missão que o Senhor me confia.
Minha gratidão a todos, em Cristo estaremos sempre unidos!"

Ir. Elizete, fsp

Profissão perpétua da Ir. Elizete

Em vista da Profissão Perpétua da Ir. Elizete Moura dos Santos, aconteceu na cidade de Dona Inês- PB, uma Semana Vocacional. Evento que casou com a comemoração dos 15 anos de sua Paróquia: Santa Inês e São Sebastião.







Teve início dia 1° de agosto com o objetivo de visitar todas as famílias da cidade. Irmãs e Aspirantes da comunidade do Recife, juntamente com a equipe missionária da Paróquia, foram de casa em casa proclamando a Boa Nova às famílias. Ao saudarem as pessoas com a Paz de Cristo, sentiam que a alegria reinava no semblante de muitas pessoas, que com sua simplicidade e fé se alegravam em acolher as Irmãs em suas casas. A Bênção da família e da casa foi um momento marcante das visitas nas famílias, como também a celebração das promessas do Batismo. Junto com as famílias agradecíamos a Deus pelo dom da vida, da vocação cristã e religiosa. Outra grande oportunidade de falar sobre a dignidade humana e o valor da família e da vocação cristã foram os encontros com as crianças, adolescentes e jovens; como também os momentos de Celebração da Palavra nas comunidades.







Ir. Elizete afirma: "A Semana Vocacional foi uma grande oportunidade de celebrar a graça da vocação religiosa paulina e também partilhar com o meu povo a alegria de ter sido escolhida por Deus para ser no mundo e sinal visível de seu amor".


A conclusão da Semana Vocacional foi marcada pela acolhida, alegria e entusiasmo do povo na Missa Solene da Pofissão Perpétua presidida por Dom Francisco Lucena, bispo da Diocese de Guarabira/PB, dia 08 de agosto às 19h.


Parabéns Ir. Elizete! Parabéns à sua família! Parabéns ao povo de Dona Inês-PB!
Agradecemos ao Senhor o Dom de sua vida e sua vocação!

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

96 anos de Família Paulina

Há exatamente 96 anos nascia a congregação dos Padres e Irmãos Paulinos (Pia Sociedade São Paulo). A primeira de 5 congregações e 5 institutos fundados por Pe. Tiago Alberione em Alba, na Itália.
A Pia Sociedade Filhas de São Paulo (Irmãs Paulinas) foi a segunda congregação a compor essa família no ano seguinte, 1915.



Em uma celebração eucarística, presidida por Pe. Mário Pizzeta, ssp, irmãs e colaboradores da gráfica, casa de oração e residencia das irmãs, na Cidade Regina, em São Paulo-SP, elevaram a Deus hoje, sua prece de ação de graças por todas os benefícios que Deus concedeu à Igreja e a sociedade por meio da existência da Família Paulina.



Também agradecemos, especialmente, os dons e o serviço dos colaboradores Rogério dos Reis Silva e Fernando Olivieri, que trabalham conosco a 15 e 10 anos respectivamente.



Parabéns a toda a Família Paulina!

Sou realizada na minha vocação de Irmã Paulina

"Sou Irmã Celina Helena. Eu era adolescente e preparava-me para ingressar na congregação das Irmãs da Divina Providência. Todos os anos passava na cidade de Itapiranga (SC), uma irmã paulina, que me causava uma impressão muito bonita, pela sua contagiante alegria e vibração na missão. A grande pasta de livros que Ir. Edwiges trazia era esvaziada rapidamente quando chegava à minha casa, pois papai dizia: “Escolham um livro para cada um”. E a irmã nos mostrava tudo o que ela havia trazido para aquele ano. Todos os anos ela me convidava para ser paulina. Mas em 1955, senti algo diferente e eu disse ao meu pai: “Pai, acho que vou ser uma irmã paulina, como a irmã que está hoje em nossa casa”. Papai logo se opôs e me fez refletir, achando que era um mero fervor. Passaram-se mais dois anos e eu resolvi ingressar na Congregação. Tornei-me paulina e já me consagrei há 47 anos.
Tenho uma grande paixão pela leitura, teologia, música e artes. Descobri na teologia e nos longos anos no editorial, o grande valor da leitura e a minha paixão para escrever. Atuei por mais de 26 anos na COMEP, percebendo, mais do que nunca, o grande encanto de evangelizar através da música, podendo expressá-la também, na pastoral da música e do canto, iniciando no Centro Social Tecla Merlo das Irmãs Paulinas, o coral que leva o mesmo nome.
Atualmente continuo escrever, trabalho na avaliação de obras para as livrarias Paulinas, colaboro com a Rádio Evangelizar de Curitiba, fazendo alguns programas e à medida da necessidade, colaboro na Livraria Virtual.
Sou uma irmã paulina, realizada e feliz. Amo o que faço e procuro me dedicar naquilo que me é confiado. Para mim não existem três votos na vida religiosa, pois a GRATUIDADE, é o valor maior e compreende os três votos. Ser Gratuito é ser pobre e ser dócil àquilo que Deus quer pedir de mim, através da voz dos superiores.
A alegria da doação é o que mais importa: se eu sou alegre na doação, sou feliz e realizada. A religiosa não é uma mulher frustrada e triste porque não exerceu a maternidade física. Acho que a maternidade da religiosa é maior do que a da mãe porque uma irmã consagrada, tem o mundo aos seus pés. "
Irmã Celina Helena Weschenfelder

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Uma vida pelo Evangelho



"Sempre me senti tocada por Jesus Cristo e por sua mãe, Maria Santíssima, que me amam de maneira extraordinária. Fui criada num ambiente familiar, nos padrões de respeito ao próximo e amor a Deus. Sinto-me recompensada, agradecida, protegida e convidada a todos os dias tocar Jesus Cristo nas pessoas, pela missão que me foi confiada através do carisma herdado de São Paulo Apóstolo e comunicado pelo beato Tiago Alberione e Irmã Tecla Merlo: "Evangelizar com a comunicação social".


Ir. Daniela Rodrigues, fsp

quarta-feira, 18 de agosto de 2010


O que é vocação?


A jovem Juliana Sestrem, de Joinville-SC, é vocacionada à vida religiosa Paulina.
Confira a resposta que ela deu a seguinte pergunta:
Para você, o que é vocação?


"Vocação é paixão e dedicação


É algo que nasce com você, é uma paixão ou vontade de dedicar-se a algo. Para saber qual é a sua vocação, o seu chamado, Deus dá várias opções: vida religiosa, vida consagrada de comunidade, vida matrimonial, sacerdotal ou leiga. Basta ter coragem de fazer um caminho vocacional para discernir onde você se sentirá feliz, e perceber se é isso que Deus quer para você."



Que Deus a ilumine nesse caminho de descoberta de sua vocação Juliana!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Oração a São Paulo

Ó São Paulo,

mestre dos gentios,

olhai com amor para a nossa Pátria!


Vosso coração dilatou-se

para acolher a todos os povos no abraço da paz.


Agora no céu, o amor de Cristo

vos leve a iluminar a todos

com a luz do Evangelho

e a estabelecer no mundo o Reino do amor.


Suscitai vocações,

confortai os que anunciam o Evangelho,

preparai as pessoas

para que acolham o Cristo, divino Mestre.


Que o nosso povo

encontre Cristo e o reconheça sempre

como o Caminho, a Verdade e a Vida;

busque o Reino de Deus

e trabalhe em sua realização,

para que a luz resplandeça

diante do mundo.


Iluminai, animai e abençoai a todos!


Amém.

Como se visse o invisível

Optei por seguir Jesus Cristo

A aspirante Paulina Maria Luciana Lima Souza partilha com você hoje como sentiu o chamado de Deus em sua vida. Ela é natural de Iguatu-CE e tem 25 anos.


"Optei seguir Jesus Cristo, na vocação religiosa porque sinto vontade de fazer algo a mais pelo Reino de Deus. Aos 23 anos, na Igreja Sagrado Coração de Jesus, em Fortaleza-CE, acolhemos a imagem de Paulo, trazida por sua filha, a Ir. Rosa Maria Ramalho. Durante sua palestra senti o chamado de Deus para lançar-me nesta missão a serviço da vida e a viver em contínua conversão dentro da espiritualidade Paulina. Te louvo Pai do céu por teu infinito amor em conduzir-me nos passos de Paulo. Quero viver Jesus Mestre Caminho, Verdade e Vida equilibrando mente, vontade e coração conforme orienta o nosso fundador Pe. Tiago Alberione."
________________________________________________________
"Esquecendo-me do que fica para trás e avançando para o que está diante, prossigo para o alvo, para o prêmio da vocação do alto, que vem de Deus em Cristo Jesus".
(Fil 3, 13-14)

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Irmãs Paulinas no 7º ComVocação

No dia 15 de agosto, nós, irmãs Paulinas marcamos, mais uma vez, presença no ComVocação.


Este já é o 7° ComVocação, promovido pela Diocese de Osasco-SP, e nesse ano o evento aconteceu em Barueri– SP.



No local aconteceram várias atividades: Shows, feira vocacional e um Espaço para Crianças. Em nosso Stand de Paulinas, acolhemos com alegria os visitantes e tivemos a oportunidade de partilhar com eles nosso carisma e missão através de nossos produtos e de nossa presença vocacional.

Minha vocação

Vamos conhecer hoje a história vocacional da aspirante Paulina Maria Rosangela de Lima. Ela é natural de Belo Horizonte e tem 25 anos.




Deus nos modela com amor e paciência

"Sou apaixonada pela missão Paulina que Deus concedeu. O chamado foi interessante, veio através da televisão no final do programa Mãe Maria, apresentado pelo arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor de Oliveira de Azevedo. A imagem de Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos me chamou atenção pelo seu jeito maternal de mãe ao dar Jesus ao mundo.
Enquanto tocava música Maria de Nazaré, do CD Tocando Sinos, aparecia o nome “Paulinas”, e no final da ficha técnica apresentava o nome da Irmã Celeste Gislandi ( Irmãs Paulinas). Foi aí que despertou o grande desejo de ser uma comunicadora de Jesus a serviço do próximo, desejando ardentemente ser uma Filha de São Paulo. E hoje como aspirante Paulina sinto um acolhimento maior do que eu imaginava, estou contente e pedindo para que Deus sempre me acompanhe nesta caminhada que esta apenas começando."




Que Maria, a mãe, a mestra e a Rainha dos Apóstolos seja a sua guia no caminho de seguimento de Jesus!

domingo, 15 de agosto de 2010

Dia das vocações religiosas

Com grande alegria, em comunhão com a Igreja, celebramos hoje o Dia das vocações religiosas.


Vamos conhecer a história da Ir. Tecla Merlo, co-fundadora das Irmãs Paulinas. Exemplo de alguém que respondeu e amou a sua vocação, permacendo fiel por toda a vida.



"Todos os tempos têm a sua história e nela os seus personagens, mas são os pequenos detalhes que fazem a diferença, imortalizando pessoas e fatos.
Assim é a história verídica de Maria Teresa Merlo, jovem nascida em Castagnito d’Alba, pequena cidade italiana, no dia 20 de fevereiro de 1894.
Sua vida é rica de fé, de coragem, de heroísmo e audácia profética. Filha de pais profundamente cristãos, Maria Teresa Merlo desde jovem alimentava o imenso desejo de consagrar sua vida a Deus, no amor e serviço aos irmãos.
Este seu desejo se tornou realidade quando um dia recebeu o convite do padre teólogo Tiago Alberione, para com ele iniciar uma congregação de irmãs que se dedicassem a missão de divulgar o Evangelho, com o apostolado moderno da boa imprensa.
Sentindo, naquele convite um forte apelo de Deus, Maria Teresa Merlo partiu, levando na bagagem uma sólida formação humana e cristã e um grande amor a Palavra de Deus, tesouro que a sustentou por toda a sua vida.
Apoiada muito mais na fé e na confiança na Divina Providência de que nos recursos humanos e materiais, irmã Tecla Merlo, nome que recebeu na profissão religiosa, orientada e assistida pelo padre Tiago Alberione, corajosamente assumiu a missão de levar adiante a co-fundação das Filhas de São Paulo.
Os primeiros passos da nova congregação foram dados no momento em que a Itália vivia dias muito difíceis de sua história, os horrores da primeira guerra mundial.
Os anos de 1914 a 1918 foram de muitas dificuldades para a congragação recém-fundada. Além dos perigos da guerra, faltava o necessário para o sustento da comunidade e meios indisénsáveis para dar continuidade a missão.
Foram dias intermináveis em que somente a fé, o amor e a confiança em Deus sustentaram a fidelidade das primeiras irmãs paulinas.
Transcorridos alguns anos, pós-guerra, e de relativa paz, com muito sacrifício foi se retomando o ritmo normal e novos projetos e iniciativas de apostolado surgiram com grande dinamismo. Foi um tempo de muitas fundações, não só na Itália como além de suas fronteiras. A congregação florescia, crescendo não somente em novos membros, mais na expansão de novas fundações, livrarias e de outros meios de difusão da Palavra de Deus.
Quando em tudo parecia reinar a paz, explode a segunda guerra mundial, guerra que deixou a itália reduzida a um monte de ruínas, e a congregação novamente em grandes dificuldades, mas cheia de esperanças em um novo porvir.
Irmã Tecla Merlo, deixando o que ficou para trás e lançando-se para frente, como apóstola corajosa do século XX, e discípula e missionária fiel do Mestre e de Paulo, aprimorou seus conhecimentos, revitalizou as suas energias e com visão de universalidade abriu a missão paulina a todas as culturas, a todas as nações e povos, usando os modernos meios de comunicação social.
Como Paulo, viajou por terra, mar, e pelos céus para iniciar e visitar comunidades, encontrar-se com as irmãs para animá-las, para entusiasmá-las e para encorajá-las as novas iniciativas e as modernas formas de realizarem o bem às pessoas.
O tempo passou e chegou a hora de partir. Em 5 de fevereiro de 1964 Irmã Tecla partiu, levando na bagagem o passaporte para o paraíso e o certificado de missão realizada e a gratidão de toda a família paulina. E no seu olhar compassivo de mãe, a certeza de que este olhar continuará brilhando nos olhos místicos contemplativos de cada filha de São Paulo.
Em 22 de janeiro de 1991, o papa João Paulo II reconhecendo as virtudes heróicas de irmã Tecla Merlo a proclamou Serva de Deus. "


(Texto: Ir. Maria Nogueira, fsp)


Parabéns a todos os religiosos e religiosas, que como Ir. Tecla Merlo, entregam suas vidas a Deus e ao povo por amor ao Evangelho!