sexta-feira, 30 de julho de 2010

Vocação e Consagração Perpétua da Ir. Elizete





Irmã Elizete Moura dos Santos, no dia 08 de agosto ofertará para sempre sua vida à Deus na congregação das Filhas de São Paulo (Irmãs Paulinas), numa celebração Eucarística em sua cidade natal, Dona Inês – PB.
Ela nos conta um pouco da sua história e como está o coração nesse momento especial. Confira na entrevista abaixo:




1 – FALE-NOS SOBRE O DESPERTAR DA SUA VOCAÇÃO.
Aos 15 anos, apesar de trabalhar, estudar e participar ativamente da comunidade sentia desejo de fazer algo que desse verdadeiramente sentido a minha vida. Em busca desse algo mais, cheguei até a pensar que em outra religião, que com propostas mais radicais, eu pudesse viver de forma mais comprometida os valores do Evangelho. Contudo, percebi que não era exatamente isso o que eu buscava para minha vida.
Assim, decidi continuar fazendo parte do grupo de Jovens de minha comunidade. E certa noite, após o término das aulas do Colégio, encontrava-me no pátio da Igreja, junto a outros membros do grupo Jovem, quando recebemos o convite para entrarmos na Igreja e assistir a um filme que uma Irmã Paulina iria passar.
A curiosidade era tanta em conhecer uma Irmã, que não pensei duas vezes, entrei e assisti não só a um filme, mas a dois: Uma vida pelo Evangelho e Além das Ilusões.
O primeiro era sobre a vida de Irmã Tecla Merlo, co-fundadora da Congregação das Irmãs Paulinas. O que mais me tocou foi sua vida simples de fé e seu amor profundo a Cristo e ao Evangelho. Fiquei profundamente encantada com o modo de ser dessa Irmã, principalmente, de comunicar Jesus às pessoas.
O segundo filme mostrava a história de uma jovem em busca de sentido para própria vida. A identificação foi tanta que, daquele momento em diante, passei a me questionar sobre se o que eu fazia me realizava, como pessoa e como cristã. A angústia maior foi ter percebido que não, mas por outro lado, sentia que, naquele momento, estava diante de uma nova opção de vida: a Vida Religiosa Consagrada Paulina.


2 – EM QUE ANO INGRESSOU NA CONGREGAÇÃO E O QUE FOI MAIS DIFÍCIL PARA DAR ESSE PASSO?
Após o primeiro contato com as Irmãs, iniciei o acompanhamento vocacional através de cartas, convivências vocacionais e visitas das Irmãs à minha família. Cada vez mais me sentia encantada e entusiasmada pela Vida Religiosa Paulina e, a exemplo de Irmã Tecla Merlo, dentro de mim brotava um grande desejo: dedicar a própria vida à causa do Evangelho!
Com esse imenso desejo, em 1997, ingressei na comunidade do Recife dando início à primeira etapa da vida paulina, o aspirantado. Além do difícil processo de adaptação, que é bastante normal, deixar a família me custou muito. Meu pai havia falecido um ano antes do meu ingresso na Congregação, minha família estava passando por uma fase difícil de perda e, juntos, estávamos ainda elaborando uma nova entrega a Deus, agora na dimensão da Vida Religiosa Consagrada.


3 – DEPOIS DESSE TEMPO DE FORMAÇÃO, O QUE TEM A DIZER PARA AS JOVENS QUE SENTEM SEU CORAÇÃO INQUIETO?
Hoje, após sete anos de vida consagrada Paulina e treze anos que deixei a minha família para fazer uma experiência religiosa, sinto que, de fato, o Senhor me ama e me chama cada dia para viver e comunicá-lo com todo o meu ser.
Hoje também percebo muitos corações inquietos e tenho certeza que Deus continua suscitando no coração de muitas jovens o mesmo desejo de segui-lo mais de perto. Por isso, com grande alegria e confiança, expresso minha convicção, especialmente a você jovem: jamais deixe de ouvir as inquietações do seu coração e busque conquistar o que de fato vale à pena. Se descobrir que o seu tesouro é Jesus Cristo, não tenha medo de oferecer, entregar e consagrar a Ele o melhor de sua vida.


4 – O QUE SIGNIFICA ESSE 'SIM' DEFINITIVO A DEUS COMO FILHA DE SÃO PAULO?
Significa renovar a fé em Cristo todos os dias e viver a convicção de que Cristo me escolheu para ser no mundo um instrumento do seu amor. Sinto-me profundamente conquistada por Cristo, assim como o Apóstolo Paulo. E “por causa de Cristo” quero dedicar para sempre a minha a Deus e ao próximo. Cada vez que saio de mim mesma para se doar sem reservas, até nas mínimas coisas do dia a dia, sinto que me torno mais Filha de são Paulo e isso me faz feliz e realizada em minha vocação.





“Assim como meu Pai me amou, eu também amei vocês: permaneçam no meu amor” (Jo 15,9).





O texto bíblico acima, é o que toca mais forte no coração da Ir. Elizete.
Que sua vida Paulina seja para todo o povo uma expressão desse amor de Deus que a amou, escolheu e consagrou!

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e não esqueça de colocar seu nome. Obrigada!