terça-feira, 24 de maio de 2011

50 anos consagrados a serviço do Evangelho com a comunicação!

Ir. Elide Teresinha Pulita é natural de Espumoso - RS. Nos últimos anos, viveu e exerceu o apostolado Paulino na Colômbia e agora, voltou ao Brasil para ficar. Confira o que ela nos conta de sua experiência:
1. Ir. Elide, conte-nos um pouco como sentiu o chamado do Senhor para ser religiosa?
Tudo aconteceu de forma simples, clara e decisiva. Sou a primogênita de 13 irmãos e irmãs. Família marcada pela fé, pelo trabalho, pela dedicação e cuidado de uns pelos outros. Desde pequena, senti o desejo de ser missionária para “fazer o bem”, para rezar mais, e para ajudar os outros.  Não me preocupava em escolher a Congregação. Um dia minha mãe se encontrou com Irmã Pacis, Paulina. Chegando em casa, ela me disse: “encontrei uma boa Congregação para você; são as irmãs que fazem livros e os levam nas famílias”. Fiquei fascinada. Irmã Pacis me enviou um álbum apresentando a Congregação. Identifiquei-me com tudo e ingressei no aspirantado de Porto Alegre - RS. Era o ano de 1954. Eu tinha 15 anos. Aos poucos fui descobrindo minha nova família, a espiritualidade e a missão paulina. Posso dizer que 50 anos foram insuficientes para descobrir toda a riqueza que o carisma Paulino colocou em meu coração. 
2. Ao olhar sua caminhada nesses cinqüenta anos, consagrada ao Senhor para anunciar o Evangelho, sente-se feliz e realizada por ter respondido seu “Sim” a vocação? 
Encontrei na Congregação tudo o que eu precisava para meu crescimento integral como pessoa e missionária Paulina. Os estudos e a missão abriram imensas possibilidades de relações com muitíssimas pessoas e de conhecimento de muitas culturas e países, desde a Ásia até a África, desde a Europa até America Latina. Tudo dilatou meu coração missionário para compreender a sede e a fome que a humanidade tem da Palavra de Deus. Os dias mais felizes de minha vida foram aqueles em que eu pude colocar a Palavra de Deus nas mãos das pessoas, ensiná-las a ler e compreender a Bíblia. Como formadora, experimentei a alegria de aprofundar e partilhar o carisma paulino com minhas co-irmãs de nosso continente e de outros lugares onde estão as Paulinas. Isso me ajudou a constatar que o dom do carisma Paulino é da Igreja e de todos os povos.  Essa sintonia espiritual não tem preço. Só é compreendida em profundidade na experiência de cada dia. A realização plena acontece um pouco a cada dia na medida em que vivemos o grande mandamento da caridade.
3. No caminho, certamente, além das alegrias e flores, deparou-se também com sofrimentos e cruzes. Qual foi a força que encontrou para permanecer fiel?
Se houve sacrifícios, cruzes? Claro que sim!  Mas nunca foram superiores às minhas forças. A cruz de cada dia foi gerando uma nova forma de ser feliz através do despojamento do meu eu e da doação de todo o meu ser, no amor.  A força e a coragem vieram da oração, da comunidade e da Palavra de Deus, que posso sintetizar numa expressão de São Paulo: Tudo posso naquele que me dá forças.
4. Diga uma palavra aos jovens, que hoje, sentem Deus a chamar-lhes para segui-lo mais de perto.
Aos jovens, desejo dizer-lhes que a busca do sentido da vida os ajudará a descobrir o projeto de Deus para cada um. A vida é vocação e a vocação é missão. Todos existimos para algo. Para tornar o mundo mais humano, conforme o projeto de Deus. A felicidade de cada um está em realizar, cada dia, uma parte deste projeto. Neste sentido posso dizer que cada jovem, hoje, é um buscador de Deus e um comunicador de Deus. Descobrir Deus pessoa é o ponto de partida para a realização da missão que Deus quer de cada um.
Um trecho do Evangelho que marca seu caminho vocacional.

A Palavra de Deus sempre foi luz para minha experiência vocacional ao longo dos 50 anos. É difícil especificar um trecho, porque a cada dia o Espírito Santo vivifica em nosso coração aquele trecho que necessitamos para o dia. Mas posso dizer que a palavras do Pai Nosso sempre foram o pão da manhã que sustentaram cada dia. O Pai Nosso me ajudou a descobrir o rosto misericordioso de Deus Pai- Mãe, fonte e força de minha consagração.

"Vocês devem rezar assim: Pai nosso, que estás no céu, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. Dá-nos hoje o pão nosso de cada dia. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal." (Mt 6, 9-13)  

2 Comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e não esqueça de colocar seu nome. Obrigada!