domingo, 1 de maio de 2011

VIVIANI MOURA

Natural de Maquiné - RS, entrou na congregação das Irmãs Paulinas em Canoas - RS no início do ano de 2006. É motivada pelas palavras de São Paulo que nos diz:

“Por causa dele, perdi tudo e considero tudo como lixo, a fim de ganhar Cristo e ser encontrado unido a Ele.” (Fl 3,8b – 9a)

Vamos conhecê-la um pouco mais nas perguntas que respondeu:

Viviani

1.  Viviani, conte-nos como aconteceu sua vocação, como escutou a voz do Senhor a chamar-lhe para segui-lo mais de perto na Vida Religiosa Paulina. 

Sinto que toda a minha vida até aqui é um chamado. Eu era uma menina normal, como todas da minha idade. Com dez anos fiz a primeira eucaristia e a partir daí comecei a participar da vida da comunidade. Até que um dia senti no meu coração um questionamento: se eu dou umas algumas horas durante a semana à minha comunidade e me sinto tão realizada fazendo o bem, porque não entregar toda a minha vida?

Nesse tempo mudou o pároco da minha paróquia, que frequentava minha casa e me falou das Irmãs Paulinas, era uma congregação que tinha como missão anunciar o Evangelho com os meios de comunicação também por intermédio do livro. Isso tocou no profundo do meu ser, e eu me identifiquei, porque eu sempre gostei muito de ler. Então o padre Edegar levou duas Irmãs Paulinas na minha casa: a Ir. Agostinha e a Ir. Catarina Boff.

Depois, o padre me ajudou a entrar em contato com as irmãs da comunidade de Canoas – RS e, começar o acompanhamento vocacional. Tinha 13 anos e foram 5 anos de acompanhamento. E o compromisso tornou-se cada vez mais sério e eu, me sentia chamada por Deus a ser toda dele. Comunicá-lo, amá-lo e doar a ele todo o meu ser, para Ele e para as pessoas. O que fazia na minha comunidade, agora, de uma maneira mais ampla, o faço a muitas pessoas.

   2. O que nos conta sobre esses cinco anos de caminhada na formação Paulina, como foram para você nos momentos alegres e nas dificuldades? 

Sinto que em todos esses anos Deus esteve sempre comigo e isso me faz ser muito feliz. Pude fazer a experiência de minha pequenez, da minha insuficiência, da minha pobreza, mas ao mesmo tempo senti muito forte a mão de Deus agindo em mim. Sem dúvida foram muitas as dificuldades, os desafios, os questionamentos, mas, tudo isso me ajudou a sentir a grande misericórdia de Deus por mim, a fazer uma experiência concreta do amor dele e sentir-me filha amada. Os momentos de graça, de fé, de superação, de ressurreição foram muito maiores. Essas experiências de alegria foram combustível para superar os momentos menos bons. A força que me vem de Deus, essa alegria de ser chamada e escolhida por Ele me levou a caminhar, a dar passos e a chegar nesse momento que eu sinto como o mais importante da minha vida e mais especial, de selar o compromisso para sempre com Deus.


   3. O que, nesse momento importante de sua vida, no qual será consagrada ao Senhor, a motiva a responder esse SIM? 

Percebo que a grande motivação que me faz dizer sim é sentir no fundo do meu ser o chamado de Deus e a confirmação desse chamado. Oferto minha vida a Deus e às pessoas na vida e missão paulina na Igreja, para que Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida seja conhecido, amado e seguido por intermédio da minha vida, o anunciando com todos os meios de comunicação. É esse desejo de ser toda de Deus e entregar, consagrar e ofertar toda a minha vida a Ele. Disposta a assumir todas as cruzes e as conseqüências desse sim, dito no dia a dia e agora publicamente, afirmando: sim, tu me escolheste e aqui estou e envia-me, não me pertenço mais, quero ser toda tua. Tenho a consciência das responsabilidades, do compromisso desse sim e do que ele significa.

Esse momento é o mais feliz da minha vida, o mais importante e vivo isso em comunhão com toda a congregação, com todas as minhas irmãs. Juntas caminhamos rumo a meta: Que Cristo seja formado em todo o nosso ser, a ponto de dizer um dia como São Paulo: Eu vivo, mas já não sou eu que vivo é Cristo que vive em mim. É o momento de cantar o magnificat por tudo o que ele realizou na minha vida e na minha história e aquilo que tenho certeza que ele vai continuar realizando daqui para frente.

4. Deixe uma mensagem aos jovens que, como você, também escutam a voz do Senhor a chamá-los para segui-Lo mais de perto. 

Não tenha medo de se arriscar e de se entregar a Deus. É um caminho lindo que vale a pena e que conduz verdadeiramente a felicidade. Permita-se fazer essa experiência com Jesus de conhecê-lo e de responder a esse chamado.  Não tenha medo de correr ao seu encontro e abandonar-se aos braços de Deus, deixando que ele conduza a sua vida a sua história e não tenha medo de dizer sim a Deus.

2 Comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e não esqueça de colocar seu nome. Obrigada!