segunda-feira, 9 de maio de 2011


"O discípulo Paulino está inserido em Maria, pois ela forma Jesus Cristo em cada vocacionado; ele se torna cristão, apóstolo, santo". 
Pe. Tiago Alberione

Trazemos para você um artigo escrito pela Ir. Eide de Bortoli. Ela é Irmã Paulina há mais de 50 anos, até o final do ano passado foi a Superiora Provincial das Irmãs Paulinas no Brasil e, reside atualmente na comunidade da Cidade Regina em São Paulo.  Ela partilha com você sobre sua experiência com Maria ao longo de seu caminho vocacional. 


Maria, Rainha dos Apóstolos
Mãe e guia de todos os vocacionados e vocacionadas

Maria, a mãe de Jesus, viveu intensamente o processo vocacional em todas as suas fases:
Escutou a voz de Deus quando lhe revelou o chamado e lhe confiou a extraordinária missão da maternidade divina; ficou perplexa e pensativa diante do convite de Deus, fez perguntas, discerniu e acolheu os desafios da proposta;
abriu seu ser e permitiu ao Senhor a realização da vontade soberana: “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim tua Palavra”.
Ela colaborou ativamente na encarnação, formação e crescimento de seu Filho e esteve sempre próxima em sua missão; participou com ele no mistério da redenção permanecendo em pé junto à cruz de Jesus no seu momento mais crucial; esperou confiante a ressurreição gloriosa do Salvador; reuniu e encaminhou os discípulos na vinda do Espírito Santo e os acompanhou no início da Igreja, no seu crescimento até ao dia de hoje e assim será para sempre.
Esta é a caminhada vocacional de Maria e a viveu com genuína e amorosa dedicação, sem medir o que poderia custar cada momento do seu sim.
Por isso Maria, a mãe e rainha dos apóstolos, que acolheu cada ser humano como filho, permanece disponível para oferecer a ajuda do discernimento a cada um que é convidado por Deus para as mais diversas vocações.
 Ela realiza a missão que lhe foi confiada de duas maneiras:
Com sua forma particular de responder a Deus e com sua valiosa intercessão junto ao Espírito que conduz cada vocacionado.
Muitas vezes em minha vida consagrada, desde o início da caminhada até hoje, Maria me iluminou, encorajou, consolou, acompanhou em cada decisão e em cada resposta aos apelos de Deus e dos irmãos e irmãs a quem dediquei todo o meu ser.
Ela partilha da minha vida e eu partilho da vida dela. Silenciosamente ela tomou minha mão e me conduziu inspirando-me a melhor forma de ser fiel, de seguir em frente. Destaque muito especial nas horas das tentações, das dúvidas, dos sofrimentos, do trabalho mais exigente, do amor concreto ela me precede, me abençoa e me obtém graças para dar vida ao meu SIM.
Como o bem-aventurado Alberione, eu considero indispensável a presença, as atitudes, as palavras, o testemunho de Maria na realização vocacional de cada pessoa, especialmente das que são chamadas a viver a radicalidade do Evangelho.

                                                                                          Ir. Eide de Bortoli, fsp

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e não esqueça de colocar seu nome. Obrigada!