terça-feira, 4 de setembro de 2012

Brilho de estrela...

FONTE: Internet
 
Já nem bem chegou a noite e eu tenho aqui refletida a primeira estrela na lágrima tímida vertida da saudade que transborda no meu peito sangrando pelo meu rosto.

A mesma estrela que curti brilhante
no teu olhar distante.

E agora?
O que faço neste embaraçado labirinto de tantos sonhos loucos de tantas saudades proibidas de tantas paixões feridas?

De que me vale o luar entrado pela janela
se não posso guardá-lo para as noites de tão obscura solidão?

De que me adianta esse brilho de estrela
se ela está há tantos milhões de anos-luz de mim?

Pra que sonhar tão lindo mundo se a realidade é tão cruel e o céu tão invisível e tão pesadamente encantado?

De que me serve esta lembrança tão real de ti se não posso atrair-te aos meus braços?

Hoje sou o que sou, meio louco, não quero pouco quero tudo, quero tu, quero nada enfim.

Te quero amante, amada feito água em todos os estados. Por todos os meus lados assim: indo-vindo irreversivelmente com a onda do mar!

(Zé Vicente)

Referência: Tempos urgentes

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e não esqueça de colocar seu nome. Obrigada!