segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Ser missionária é... Entrevista com Ir. Sabrina Mosena, fsp

Entrevista para o mês missionário 2017
Iniciamos o mês de Outubro com o pé e o coração na estrada, inspiradas no tema do mês missionário, “A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída”, nosso site bateu um papo bem legal com nossas irmãs a fim de conhecer as realidades onde estão inseridas desenvolvendo a missão paulina. A entrevistada de hoje é Irmã Sabrina Mosena, fsp, natural de Carlos Barbosa - RS, que atualmente realiza a missão paulina em Manaus - AM.
 
Ir. Sabrina Mosena, fsp
Site das Irmãs Paulinas: Ir. Sabrina, o que a motivou para ser uma Irmã Paulina?
Ir. Sabrina: Cresci em uma família de tradição católica. No colo de minha avó materna aprendi a rezar à Maria, antes de cada refeição que fazíamos, em família rezávamos a oração ao Santo Anjo porque como dizia minha avó: “era a oração dos netos.”
Em minha família, tenho uma tia – Ir. Marisa Mosena, Ministra dos Enfermos de São Camilo (Camiliana). Cresci convivendo com a Vida Religiosa Consagrada e não era estranho para mim ver as irmãs, ou melhor, não era algo “de outro planeta”.
            Eu sempre dizia para minha tia religiosa que queria ser igual a ela, menos na saia (risos). Ou seja, seu modo de ser me encantava. O jeito como ela tratava as pessoas, como ela convivia em nossa família, como convivia na comunidade religiosa me atraia.
            E foi ali, nesse contexto de vida religiosa, na comunidade das Irmãs Camilianas que encontrei Paulinas pela primeira vez, através de um livro. Pela curiosidade em saber o que era Paulinas fui buscar na internet. E ali me deparei com um vasto horizonte que se abria à minha frente.            O que me motivou à ser uma Irmã Paulina foram duas coisas no início de minha caminhada vocacional: nossa Gravadora COMEP e o banner do site Paulinas no Mundo. Ou seja, a música que trago como herança de minha família, que sempre me incentivou a tocar algum instrumento desde criança e que hoje trago muito forte em mim, essa paixão pela música que me fez encontrar e me encantar pela Paulinas Comep, e também a Missionariedade Paulina.
            Ao entrar pela primeira vez em nossa comunidade paulina, em Canoas – RS, me deparei novamente com esse banner, mas agora como quadro em nossa residência: Paulinas no Mundo. E aquele sentimento que havia gerado em mim quando vi no site nossa missionariedade, foi novamente aceso ao pisar pela primeira vez na comunidade Paulina.            Eu trazia em meu coração dois desejos fortes que me impeliam à frente e que me motivaram a ser uma Irmã Paulina: como companhia, levava meu violão. E como caminho: o mundo inteiro pela frente.
 
Ir. Sabrina Mosena e jovens da comunidade
Site das Irmãs Paulinas: Qual o personagem bíblico lhe inspira no caminho missionário?
Ir. Sabrina: Bem, não poderia ser outro personagem que nosso próprio pai são Paulo Apóstolo. Em sua vida missionária, Paulo percorreu mares e terras por causa do Evangelho. Fez-se tudo para todos, se inserindo nas diversas culturas que encontrava a fim de “ganhar o maior número para Cristo”, até que pôde dizer: “já não sou mais eu que vivo. É Cristo que vive em mim”.
São Paulo Apóstolo me inspira cotidianamente e me dá coragem na missão junto à Igreja da Amazônia, inserida nesta cultura tão rica e tão acolhedora, que também me faz desejar ser tudo para todos, na alegria que brota do seguimento de Jesus Mestre Caminho, Verdade e Vida. 

Site das Irmãs paulinas: Como sente e vive o apelo do Papa Francisco de uma Igreja em saída, “A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída”?
Ir. Sabrina: O apelo do Papa Francisco é muito claro e nos desinstala cotidianamente. Necessitamos todos os dias reavivar essa certeza dentro de nós a fim de passarmos de uma Igreja imóvel, fixada em um único local, para uma Igreja Itinerante, peregrina, assim como nosso fundador Bem-Aventurado Tiago Alberione nos dizia: “se as pessoas não vêm mais à Igreja, a Igreja vai até elas nas diversas formas e meios de apostolado”.
 Sendo assim, vivo este apelo de Francisco em primeiro lugar em minha vida consagrada, rompendo a crosta de egoísmo que me isola de tudo e de todos para assim ir ao encontro do outro sendo pequeno Evangelho vivo, espalhando o belo perfume de Cristo.
Ir. Sabrina Mosena e jovens da comunidade
Site das Irmãs paulinas: Qual a sua missão atualmente?
Ir. Sabrina: Cheguei a pouco mais de três meses na Igreja da Amazônia com a missão da Pastoral Vocacional e como Congregação, nós organizamos na Pastoral Vocacional nos inserindo nas paróquias e comunidades, trabalhando principalmente com a juventude a fim de tornar conhecido também o Carisma Paulino.
Como Irmã Paulina, inserida na Arquidiocese de Manaus juntamente com o Serviço de Animação Vocacional da Arquidiocese, realizamos encontros vocacionais aos jovens que desejam conhecer mais as vocações de forma geral, para assim responderem com coragem o apelo de Deus para suas vidas nas vocações específicas. 
Ir. Sabrina, Ir. Gabriele e vocacionadas
Site das Irmãs Paulinas: Tem alguma história marcante que aconteceu nesse tempo de missão em Manaus que a senhora gostaria de compartilhar conosco?
Ir. Sabrina: “Não levamos Deus a ninguém... Ele já está lá”. Essa frase me acompanha nas missões que realizamos junto aos povos da Amazônia me fazendo perceber que, como Irmã Paulina missionária descobrirei pouco a pouco Deus em cada pessoa que eu encontro em meu caminho.
            Bem, uma história marcante que vivi a uns tempos atrás foi a realização de um sonho que trazia a muito tempo, de conviver e partilhar a fé e a vida com nossos irmãos indígenas. Em quase 40 missionários de uma Paróquia daqui de Manaus, partimos para as comunidades ribeirinhas e rurais do interior. Passávamos de comunidade em comunidade deixando os pequenos grupos de missionários em suas respectivas comunidades.
            Por último chegamos nós, 13 missionários na Aldeia Tatuyo, na comunidade do Tatu – Tupé. Logo que chegamos já haviam peixes frescos, pescados naquela madrugada, e sendo preparados para nosso almoço.
Ir. Sabrina na Aldeia Tatyo
             Rezamos, visitamos e abençoamos as diversas famílias ribeirinhas e as aldeias indígenas, celebramos como comunidade, realizamos trabalhos sociais com a ajuda de voluntários da área de saúde, e por fim, como comunidade missionária, realizamos um encontro festivo com um almoço farto juntamente com as famílias da localidade.
            Histórias, mesmo em pouco tempo aqui na Amazônia, teriam muitas. Medos? Muitos medos e muitos desafios já passei e já encontrei na realidade desta Igreja. Mas a esperança no olhar das pessoas que já encontrei superam todos os medos e desafios de nossa missão.
 Eu encontrei e encontro Deus no olhar, no sorriso, no abraço, na palavra deste povo Amazonense, que me ensina todos os dias a ser uma Irmã Paulina, pequeno Evangelho vivo, me fazendo “tudo para todos”.
 

Deixe sua mensagem vocacional
Ir. Sabrina: Numa sociedade imediatista e sem raízes, com inversão de valores, andamos contra a corrente. Somos uma juventude que não se conforma com a superfície, mas quer mergulhar no profundo da experiência cotidiana com Deus, a fim de, a partir de nós mesmos, responder ao apelo de Jesus: vem e segue-me.
            Não permita que nos roubem a esperança; não permita que nos roubem a alegria de sermos jovens que lutam pela causa do Reino; não permita que os sonhos que nos movem cotidianamente por um mundo mais justo e mais fraterno se percam em tantas injustiças e atrocidades que vemos e vivemos.
            Juntos construiremos um mundo melhor, enraizado no Amor, em Jesus Mestre que é Caminho, Verdade e Vida. Venha conosco, caminhe conosco! Venha ser uma Irmã Paulina!
            

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e não esqueça de colocar seu nome. Obrigada!