segunda-feira, 15 de agosto de 2011

O jovem rico

"Um jovem se aproximou, e disse a Jesus: «Mestre, que devo fazer de bom para possuir a vida eterna?» Jesus respondeu: «Por que você me pergunta sobre o que é bom? Um só é o bom. Se você quer entrar para a vida, guarde os mandamentos.» O homem perguntou: «Quais mandamentos?» Jesus respondeu: «Não mate; não cometa adultério; não roube; não levante falso testemunho; honre seu pai e sua mãe; e ame seu próximo como a si mesmo.» O jovem disse a Jesus: «Tenho observado todas essas coisas. O que é que ainda me falta fazer?» Jesus respondeu: «Se você quer ser perfeito, vá, venda tudo o que tem, dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro no céu. Depois venha, e siga-me.» Quando ouviu isso, o jovem foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico." (Mt 19, 16-22)
O Evangelho de hoje oferece uma rica oportunidade para os vocacionados e vocacionadas refletirem sobre o chamado. O evangelista Mateus nos conta a história de um jovem. Esse jovem não tem nome, pode ser eu, Karina, ou você. Trata-se de um jovem que tem a ousadia de se aproximar de Jesus e chamá-lo de Mestre. Então, logo percebemos que ele conhecia Jesus, ou pelo menos já tinha ouvido falar dele, pois não chamaríamos a quaquer um de mestre, fazendo perguntas importantes e vitais.
A pergunta que o jovem  faz a Jesus, demonstra que as suas buscas eram profundas, busca do céu, da eternidade. "Que devo fazer de bom para possuir a vida eterna?" A resposta de Jesus não apresenta nenhuma novidade, além daquilo que ele já conhecia e vivia. Essa resposta não o satisfaz. Ele sente que ainda precisa fazer alguma coisa além de viver os mandamentos da Lei.

O mesmo evangelho, narrado pelo evangelista Marcos (Mc 10, 17-22), diz que Jesus "olhou para ele com amor" quando responde que já vive os mandamentos. Jesus o ama pois é um jovem de valores, pratica o que aprendeu de sua família, de sua religião e tradição. Porém, o próprio jovem, sente que ainda lhe falta alguma coisa. Isso é o que sentem os vocacionados e vocacionadas em todos os tempos: "O que é que ainda me falta fazer?" É o chamado de Deus, que fala bem auto dentro do coração daqueles que ele escolhe. É o chamado a perfeição, ou seja, à santidade consagrando-se totalmente ao Senhor. E Jesus dá-lhe a resposta mais desafiante: "Se você quer ser perfeito, vá, venda tudo o que tem, dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro no céu. Depois venha, e siga-me!" Vender tudo, desapergar-se de tudo e de todos. Podemos supor que as propriedades que o jovem possuía não eram somente suas, mas de sua família. Logo, vende-las e dá-las aos pobres, significaria um rompimento com os seus, para seguir o Mestre. O jovem ousado do Evangelho vai embora cheio de tristeza, pois era muito rico.
O texto termina enigmático, pois o jovem não responde mais nada, nem que sim, nem que não, simplesmente vai embora. Pode ser que ele tenha pensado melhor depois e voltado, mas isso não sabemos. 

A dinâmica desse jovem é a nossa dinâmica ainda hoje, ao desejar seguir Jesus. Vamos até ele empolgados, dizemos que queremos ser santos, tê-lo como o nosso único Mestre, nossa vida verdadeira. E Jesus continua dizendo com sinceridade as condições: desapegue-se de tudo que tem e todoa as pessoas e siga-me, seu tesouro estará no céu. É uma proposta difícil? Talvez seja. Mas aqueles que respondem sim, entregam livre e gratuitamente suas vidas a serviço do Reino, no seguimento de Jesus, ganham já nessa vida cem vezes mais e ainda a vida plena em Deus. A certeza é de um coração livre, alegre e em paz por encontrar o seu caminho, o verdadeiro caminho da vida.
Por isso jovem, se ainda não refletiu esse Evangelho e rezou, vale a pena fazê-lo. Com certeza você se identificará com esse jovem que vai ao encontro de Jesus!

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e não esqueça de colocar seu nome. Obrigada!