sábado, 3 de agosto de 2013

Ser padre...

Confira a entrevista que fizemos com o seminarista Cássio Luiz, que pertence à Congregação dos Padres e Irmãos Paulinos. O mesmo partilha conosco um pouco de sua experiência vocacional:
 
1. Quando surgiu seu desejo de ser padre?
Com a participação ativa nas pastorais em minha paróquia de origem, por volta de 2008, surgiu o desejo de querer me envolver de forma mais ativa; não me via mais separado da comunidade, dos grupos etc.. Nesse momento, com a passagem da adolescência para a juventude, surge a curiosidade sobre “como seria esse negócio de ser padre”, mas até então nada definido, apenas encantamento e indagações.
Sempre  fui muito espontâneo e efusivo, queria estudar comunicação, nem sabia o quê, necessariamente. Certa vez, pesquisei o que era Paulus, pois sempre via aquela marca em livros, revistas dentre outros. Caí no num site que tinha vários livros, CDs, um monte de coisas. Ao vasculhar a página, encontrei um link – Quem Somos: ai que tudo começou... Encontrei uma Congregação que tinha por Missão evangelizar com a comunicação. Uni duas coisas do meu gosto: Igreja e comunicação, por isso escolhi a Congregação dos Padres e Irmãos Paulinos, onde estou há 3 anos.

2. Partilhe conosco uma experiência significativa de sua caminhada vocacional.
É muito legal e significativo em minha caminhada quando observo o poder que as mídias sociais têm quando são empregadas para a difusão da Mensagem de Cristo. Em meu Apostolado (trabalho), sempre estou online em nosso facebook vocacional, nosso site, no blogger. Consigo atingir milhares de pessoas de uma só vez, mais que isso, consigo fazer com que Cristo as atinja, seja por meio de uma frase de nosso Fundador (Bem Aventurado Tiago Alberione), um trecho do evangelho do dia, ou apenas conversando e dando atenção às pessoas

3. Que texto bíblico o acompanha durante esses anos de caminhada vocacional?
"As coisas antigas passaram; eis que uma nova realidade começou." (2 Coríntios 5,7)
Este é trecho bíblico da campanha vocacional vigente nos Paulinos no período em que comecei os meus contatos vocacionais. De fato, foi uma mudança total de realidade; família, amigos, motivações, metas... 
 
 
4. O que significa ser paulino nos dias de hoje?
Estar atento às realidades de mudança, tanto das técnicas quanto da sociedade. Saber dialogar com a modernidade e dar Cristo ao homem atual e com os meios atuais. Noutras palavras, o paulino, na esfera da comunicação social, é chamado a ser “São Paulo vivo hoje”.

5. Qual o maior desafio/dificuldade que viveu depois que ingressou no seminário?
De antemão, a distância da família e amigos, por mais desapegado que sempre fui. Tudo o que é novo causa, nos primeiros momentos, estranheza. Outro fator, é que passei da realidade individual à comunitária. A exigência de uma postura responsável e madura foram sendo lapidadas com a realidade cotidiana da vida com outras pessoas.  Afinal, ninguém escolheu com quem morar, apenas seguimos a mesma meta como princípio de vida e, com isso, somos chamados a, comunitariamente, como irmãos, responder à vocação individual. Porém, quando damos sentido àquilo que vivemos é fácil suportar e eliminar os desafios.
 
6. Deixe uma mensagem aos jovens que também desejam seguir Jesus no carisma paulino
Jogue-se em direção à metas maiores de vida! Conheça a nossa Família religiosa e nos ajude a “lançar as redes” do evangelho à todas as pessoas com os meios de comunicação, sob a benção de São Paulo Apóstolo. 


Se você deseja conhecer mais a Congregação dos Padres e Irmãos Paulinos, acesse: www.paulinos.org.br

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e não esqueça de colocar seu nome. Obrigada!