sábado, 9 de julho de 2011

Surgimento da devoção ao Divino Pai Eterno

A devoção ao Divino Pai Eterno teve início por volta de 1840, com o casal de agricultores Constantino Xavier Maria e Ana Rosa de Oliveira.

Certo dia, enquanto Constantino e Ana Rosa lidavam no campo, a enxada tocou em algo rígido que não era pedra. Ao conferir, notaram ser um medalhão belíssimo de barro, com tamanho em torno de meio palmo de circunferência, e onde estava representada a Santíssima Trindade coroando a Virgem Maria. Eles beijaram o medalhão sagrado e o levaram para casa.
 
Constantino e seus familiares começaram a rezar o terço, principalmente aos finais de semana. Numerosos prodígios, graças e milagres começaram a acontecer. A notícia se espalhou e aos poucos outros moradores locais passaram a rezar juntos ao Divino Pai Eterno.

O número de devotos foi crescendo e a casa de Constantino já não comportava tanta gente. Por volta de 1843 foi construída uma capela de folhas de buriti, mas esta também ficou pequena. O Casal então doa um terreno às margens do córrego Barro Preto e todos construíram uma nova capela.
 
Constantino encomendou uma réplica da figura encontrada no medalhão, em tamanho maior e esculpida em madeira, ao artista plástico Veiga Valle, que morava em Pirenópolis - GO. Daí surgiu a imagem venerada em Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo coroando, solenemente, a Virgem Maria. Esta imagem feita pelo famoso artista goiano pode ser vista ainda hoje no Santuário Velho, também conhecido como Igreja Matriz de Trindade.

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário abaixo e não esqueça de colocar seu nome. Obrigada!